FRASE DO DIA

Rede Mateus gera emprego, paga impostos e apoia nossos projetos culturais e esportivos, uma grande colaboração para o Maranhão.

(Flávio Dino durante inauguração do Hipermercado Mateus)

Comentar

Na imagem acima, o senador Roberto Rocha (PSB) aparece ladeado pelo presidente Michel Temer (PMDB) e os ministros Bruno Araújo (Cidades), à esquerda; e Helder Barbalho (Integração Nacional), à direita.

A fotografia foi tirada na tarde desta sexta-feira, após cumprimento de extensa agenda oficial pela Região Nordeste na qual o senador maranhense foi convidado pelo presidente Temer. 

A presença de Roberto Rocha não é pouca coisa uma vez  que foram anunciados, pelo presidente da República, vários investimento na região e alguns deles com reflexos diretos no Maranhão como é o caso das ações do Banco do Nordeste.

Portanto, mais do que uma simples fotografia, trata-se, em verdade, da nova imagem que o nosso estado está consolidando no âmbito do poder central da República.

Enfim, é a hora e vez do Maranhão.


Uma boa oportunidade para quem deseja saber mais um pouco sobre os pontos positivos e negativos da polêmica Proposta de Emenda à Constituição nº 55 (241), que altera o Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, para instituir o Novo Regime Fiscal, que está tramitando no Senado Federal.

Trata-se do debate a ser realizado no próximo dia 12, segunda-feira, às 19h, auditório do bloco E, do Centro de Ciências Sociais, da Universidade Federal do Maranhão.

A PEC Institui o Novo Regime Fiscal no âmbito dos Orçamentos Fiscal e da Seguridade Social da União, que vigorará por 20 exercícios financeiros, existindo limites individualizados para as despesas primárias de cada um dos três Poderes, do Ministério Público da União e da Defensoria Pública. É mais conhecida como a PEC do Teto dos Gastos Públicos.

Se não for uma espécie de monólogo e prevalecer visões diferenciada da PEC-55, o evento poderá ser muito produtivo e rico do ponto de vista do debate.

Debatedores são:

Prof. Me. Alexsandro Sousa Brito
Possui graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do Maranhão (2001), mestrado em Políticas Públicas pela Universidade Federal do Maranhão (2003), é doutorando em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade pelo CPDA/UFRRJ (2007). Atualmente é Professor Assistente III do Departamento de Economia da Universidade Federal do Maranhão e atua nas áreas de Desenvolvimento, Macroeconomia, Análise e Avaliação de Políticas Públicas e Consórcios Públicos Intermunicipais.

Prof. Me. Marcelo Virginio de Melo
Mestre em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco. Tecnologista de Informações Geográficas e Estatísticas do IBGE. Chefe da Unidade Estadual do IBGE no Maranhão. Professor da Unidade de Ensino Superior Dom Bosco – UNDB

Prof. Dr. José Lúcio Alves Silveira
Pós-Doutorado em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), concluído em fevereiro de 2016. Professor Associado I da Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Leciona na Graduação e no Mestrado em Desenvolvimento Socioeconômico da UFMA. Tem experiência na área de Microeconomia, Macroeconomia e Economia do Setor Público.

Prof. Dr. Welbson do Vale Madeira
Doutor em Desenvolvimento Socioambiental, pelo Núcleo de Altos Estudos Amazônicos (NAEA) da UFPA. Mestre em Economia/História Econômica pela Universidade Estadual Paulista (UNESP, 2003), Bacharel em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA). É professor do Departamento de Economia e do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Socioeconômico (PPGDSE) da UFMA. Atua nas áreas de História Econômica, Economia Internacional e Desenvolvimento Socioeconômico.


Líder da oposição no Simproessemma, professor Antonísio Furtado, abre o jogo sobre a disputa eleitoral para a presidência do maior sindicato atualmente no estado do Maranhão.

O professor da rede estadual de enino e candidato da oposição a presidente do Sinproesemma – Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica das Redes Públicas Estadual e Municipais do Estado do Maranhão -, Antonisio Furtado, conta com exclusividade ao Blog do Robert Lobato como pretende derrotar a atual diretoria da entidade que hoje, segundo o docente, está completamente aparelhada pelo Partido Comunista do Brasil (PCdoB).

Antonísio lidera a Chapa 2 “Autonomia, Resistência e Luta”, e além de apresentar a sua plataforma de campanha com várias propostas para os trabalhadores em Educação, também faz algumas denúncias de abuso de poder praticado pelos dirigentes do Sinproesemma.

A segui a íntegra da entrevista com o professor Antonísio Furtado.

“Na atual diretoria do Sinproesemma, 47 dos 73 membros são filiados ao PCdoB. Esses números evidenciam o nível de atrelamento do sindicato com o partido e seus interesses. “

Por que o senhor quer ser presidente do Sinproesemma?

Inicialmente registramos que nossa candidatura não brota da indicação da atual diretoria do sindicato, muito menos conta com as bênçãos da cúpula do Governo do Estado. Ela expressa o sentimento de um coletivo de oposição que milita na base do Sinproesemma há mais de 10 anos. Iniciamos nossa militância no final da década de 90 com os companheiros do MOSEP. De lá para cá, nossa postura e atuação tem sido cada vez mais incisiva nas lutas em defesa da educação pública e em prol dos direitos dos educadores das redes estadual e municipal, o que nos credencia a assumir esse importante papel no contexto desta disputa eleitoral. Temos disposição de sobra para assumir com responsabilidade o comando do sindicato juntamente com todos os companheiros da “CHAPA 2 – Autonomia, Resistência e Luta”. Nos comprometemos ainda a trabalhar incansavelmente para que ao Sinproesemma possa ser transformado em uma verdadeira escola de formação e luta, de modo a fomentar permanentemente o protagonismo do maior número de educadores na luta em defesa de direitos e em prol de melhorias na educação básica pública. Aquilo que compete ao sindicato será feito em nossa gestão, com autonomia politica em relação à partidos e governos. Com a eleição da chapa 2 os educadores da base do Sinproesemma terão vez e voz para definir coletivamente a forma de atuação do sindicato.

Quantos candidatos estão na disputa?
No atual processo eleitoral temos duas chapas: A Chapa 1 (SITUAÇÃO) é encabeçada pelo Prof. Raimundo Oliveira.
A CHAPA 2 (OPOSIÇÃO) é encabeçada pelo Prof. Antonísio Furtado. Nossa chapa teve seu pedido de inscrição indeferido pela comissão eleitoral, pois esta afirma que não cumprimos todas as regras do regimento eleitoral. Apesar disso, recorremos à justiça para garantir nossa participação. Atenção! A Chapa 1 teve seu pedido de inscrição homologado pela comissão eleitoral, apesar de vários membros da chapa não cumprirem as exigências do regimento eleitoral.

Quais as principais propostas da sua chapa para democratizar a gestão do sindicato?

Garantir transparência na aplicação de todos os recursos e bens do sindicato através da realização da assembleia geral anual de prestação de contas e disponibilização dos balancetes contábeis no site do sindicato periodicamente;
Cumprir e fazer cumprir o estatuto da entidade;
Realizar campanha permanente de sindicalização;
Realizar anualmente seminários, fóruns e congressos para debater temas relacionados à formação politica, sindical, educacional e outros temas de interesse dos educadores da base do sindicato;
Eleger democraticamente em assembleia os membros da nossa categoria que irão compor o Conselho Estadual de Educação, o Conselho do Fundeb e de Alimentação Escolar, dentre outros;
Construir anualmente campanhas salariais nas redes estadual e municipais com a ampla participação dos trabalhadores
Lutar para garantir o reajuste anual do PISO SALARIAL dos profissionais da educação, integralmente, no inicio de cada ano;
Acompanhar de perto a política educacional dos governos estadual e municipais e intervir quando necessário, bem como fiscalizar a aplicação dos recursos públicos constitucionalmente vinculados à educação;
Criar, ativar e Reestruturar todos os núcleos municipais e delegacias regionais, bem como destinar atenção especifica aos seus trabalhadores de modo a perseguir uma permanente melhoria na prestação dos serviço aos educadores;
Melhorar o atendimento do setor jurídico em todo o estado;
Dispensar atenção especial à secretaria de aposentados e permitir que parte da sua programação anual seja decidida por esses educadores;
Promover eventos culturais, esportivos e de entretenimento para os educadores e seus familiares, periodicamente, como politica de fomento a uma maior interação entre os trabalhadores e também com a direção sindical;
Acompanhar a aplicação dos PLANOS ESTADUAL E MUNICIPAIS existentes e cobrar sua construção onde ele não existe;
Lutar para garantir anualmente os direitos dos trabalhadores da educação estadual previstos: na lei nº 9.860/2013 (Estatuto do Magistério), na lei nº 9.859/2013 (Subgrupo Apoio da Educação Básica), lei nº 9.858/2013 (Gratificação de Estimulo Profissional) e a lei nº 6.107/1994 ( Estatuto dos Servidores Públicos Civis);
Lutar para garantir anualmente os direitos dos trabalhadores da educação municipal;
Implementar via parcerias uma politica constante de estimulo à pos graduação para os educadores;

O senhor considera que desde que derrubaram a “oligarquia” da ex-presidente Lucimar Góes o Sinproesemma avançou muito?

Infelizmente não. Para os profissionais da educação os avanços são mínimos, porém, já não se pode dizer o mesmo em relação aos integrantes do grupo do PCdoB que está à frente do sindicato há quase duas décadas. Atualmente, vários deles deixaram o sindicato para ocupar cargos no primeiro escalão do governo. Ainda assim manobram mudando as regras do processo eletivo nas vésperas da eleição, no afã de de ficar à frente do sindicato ad aeternum.

O senhor considera que existe aparelhamento partidário no Sinproesemma?

Não acho, tenho certeza. Na atual diretoria, 47 dos 73 membros são filiados ao PCdoB. Esses números evidenciam o nível de atrelamento do Sinproesemma com o partido e seus interesses. Absolutamente nada das questões centrais desse sindicato é definido por seus associados. A exemplo disso, citamos o caso da não concessão do reajuste salarial dos educadores da rede estadual em 2016. Diante desse ataque do governo, sequer a diretoria do Sinproesemma convocou uma assembleia geral para permitir que os educadores decidissem a forma de fazer o enfrentamento do governo objetivando a garantia desse e de outros direitos.

O senhor possui filiação partidária?

Atualmente não tenho filiação partidária

O atual Governo do Maranhão tem dito que avançamos muito na educação na gestão do governo Flávio Dino. O senhor concorda com essa avaliação?

É obvio que a propaganda do governo vende uma realidade muito distante do que educadores e educandos vivenciam diariamente nas escolas da rede estadual. O governo vende avanços que só existem em suas peças publicitárias. Infelizmente pesquisas nacionais continuam a apontar que temos um dos piores sistemas de ensino do país. Recentemente o PISA apontou que em relação ao ano de 2015, nosso estado figura como o 3º pior em ciências e matemática e o 4º pior em leitura dentre as 27 unidades da federação. Tudo isso resulta de ações e omissões dos governos anteriores, entretanto, dificilmente serão contornadas futuramente, pois não percebemos ações do atual governo que possam futuramente mudar pra melhor a realidade educacional do nosso estado. Infelizmente, a maioria das escolas da rede estadual se encontra em situação de extrema precarização e abandono. A carência de professores, de técnicos, e de apoio escolar é facilmente constatada em quase todas as escolas, seja na capital ou no continente.
Os educadores não são valorizados, pois em 2016, sequer o governador se dignou a cumprir a Lei federal nº 11.738/11 e garantir assim o reajuste anual devido a esses servidores. A negação de direitos não se restringe somente à questão do reajuste, outros direitos também são negados, como por exemplo, a gratificação de estimulo profissional.
Não existe transparência na aplicação dos recursos públicos destinados à educação estadual e sequer temos acesso a um documento que defina integralmente qual é a politica educacional do governo para o estado. Para além dos programas do governo federal e estadual, o que há mesmo de concreto?

Como o senhor avalia o trabalho do secretario de educação?
Inicialmente registro que não compreendemos porque o governador Flavio Dino ( PCdoB) resolveu desprestigiar os técnicos da área educacional do estado ao indicar e manter no cargo de secretário um advogado.
Não avalio positivamente seu trabalho a frente da seduc, dado as condições em que se encontram a maioria das escolas estaduais.
A permanente violação dos direitos dos profissionais da educação é outro item preocupante;
As condições de trabalho dos educadores em nada mudou nos últimos 2 anos. Nas escolas os educadores continuam tendo que comprar material para minimamente conseguir dar suas aulas.
Esses e outros problemas não menos importantes comprometem o desempenho da ação educacional nas redes de ensino existentes no estado.

Qual a sua opinião sobre Reforma do Ensino Médio proposta pela Governo Federal?

A reforma proposta através da MP nº 746, de 22/09/16 é preocupante na medida em que é fruto de uma ação autoritária do governo Temer, sua ação ignorou diversas metas do PNE e atropelou a BNCC. O governo decidiu não promover um amplo debate com os diversos atores do contexto educacional brasileiro.
Não basta ampliar o número de horas, criar escolas em tempo integral e flexibilizar a grade curricular. Para além dessas questões existem outras que não deveriam ser ignoradas.
É necessário reconhecer que o ensino médio é a ultima etapa da educação básica, desta forma, muitos dos seus problemas são herdados das etapas anteriores, ignorar e não combater na fonte essas questões e também abordar os problemas que surgem ao longo dos 3 anos de ensino médio é um erro gravíssimo. É também imprescindível rever a formação docente inicial e efetivamente dispensar uma formação continuada eficaz aos educadores dos diversos sistemas de ensino do país, bem como garantir a todos eles uma real política de valorização profissional.
Infelizmente, a maioria dos brasileiros ainda não percebeu o que realmente está por trás da reforma do ensino médio. Para nós está em curso uma ação governamental que visa pauperizar ainda mais a escola pública e piorar a qualidade do ensino ofertado aos filhos da classe trabalhadora.


Roberto Rocha tem viabilizado algumas demandas importantes para o Maranhão junto ao Governo Federal e atualmente é um dos senadores que desfrutam de ótima relação com o presidente da República.

O senador Roberto Rocha (PSB) cumprirá, nesta sexta-feira, 9, agenda oficial com o presidente Michel Temer pela Região Nordeste do país.

A convite do chefe do Executivo Federal, o parlamentar socialista deve participar da  inspeção e assinatura de atos na Barragem de Jucazinho, cidade de Surubim/PE; visita à Estação de Bombeamento EBV-3/Reservatório Salgueiro, município de Floresta, também no estado de Pernambuco; e de cerimônia de assinatura de atos na sede do Banco do Nordeste, em Fortaleza/CE.

Roberto Rocha tem viabilizado algumas demandas importantes para o Maranhão junto ao Governo Federal e atualmente é um dos senadores que desfrutam de ótima relação com o presidente da República.

Com o apoio da bancada maranhense no Senado Federal, Roberto emplacou o diretor de Negócios do Banco do Nordeste e o diretor nacional de Infraestrutura da Codevasf, dois importantíssimos espaços públicos para fomentar e executar projetos para o desenvolvimento do estado – além de outras posições igualmente relevantes que o nosso estado pode conquistar, no âmbito do Governo Federal, muito em breve.

Em março de 2017, o senador Roberto Rocha promoverá um grande evento no nosso estado com a presença de Michel Temer.

Mas isso é assunto para outra postagem.


Isso se deve a uma minoria de blogueiros que recorre a atalhos desqualificados para se dar de bem. Em alguns casos essa minoria parece que sequer tem responsabilidade consigo mesmo ou mesmo amor à vida.

Desde que o jornalista e blogueiro Décio Sá foi executado em plena Avenida Litorânea, em abril de 2012, a blogosfera maranhense cresceu exponencialmente e hoje o estado pode ser, proporcionalmente, o ente da federação com o maior números de blogs.

O trágico fim do Carequinha, porém, parece não ter servido de alerta, por mais bárbaro que seja, para que muitos blogueiros que surgiram a partir desse crime que ganhou o mundo, tomassem o devido cuidado quanto à forma de fazer blog, do cuidado sobre o que postar e, principalmente, como se relacionar com situações em que fontes, “bombas” e os alvos das “bombas” estão em jogo.

Há muitos colegas na blogosfera que perderam não digo nem a noção teórica de jornalismo, mas a noção do ridículo, da vergonha e, o que é pior: do perigo.

Não estou querendo com isso dizer que blogueiro tenha que ser tudo bom moço, pacato, comportadinho, que não deva ser polêmico ou mesmo que não faça do seu blog um instrumento de jornalismo investigativo. Não é isso.

Claro que um blog pode e deve ser um parceiro da sociedade para denunciar tudo de errado que muitas das vezes o povo não consegue alcançar por falta de informação; mas, o que não me parece correto é fazer da maracutaia de alguém um objeto para tirar vantagem pecuniária.

Há muita forma de explorar profissionalmente um blog. Aliás, pode-se até torná-lo em uma empresa formal, um veículo de comunicação como outro qualquer.

O problema é que alguns se utilizam dessas excepcional ferramenta para intimidar pessoas com o objetivo de ganhar dinheiro fácil. Esquecem que tudo que chega de forma fácil tende ir embora com a mesma facilidade. Ainda mais quando esse “fácil” se torna sinônimo de crime.

Conceito ruim

Não é à toa que o conceito de blogs e de blogueiros é muito anda ruim na sociedade de uma forma em geral. Nosso conceito está mais baixo que fiofó de cobra, para usar a expressão de um compadre meu.

Isso se deve a uma minoria de blogueiros que recorre a atalhos desqualificados para se dar de bem. Em alguns casos essa minoria parece que sequer tem responsabilidade consigo mesmo ou amor à própria vida.

É quando a blogosfera cheira à pólvora.

“Bob, você quer dizer que tem blogueiro que pode ter o mesmo fim do Décio Sá?”, perguntaria um leitor preocupado com o teor deste post.

Bom, um amigo costuma dizer que existe gente que gosta de meter o dedo no ‘cibico’ da morte. Ou seja, pelo que se ouve pelos bastidores é que teria blogueiros que estão, digamos, abusando em brincar com o perigo.

E este post tem o objetivo apenas de colocar essa questão na pauta da blogosfera maranhense – e a Amablog tem um papel fundamental nesse debate.

Não cabe ao Blog do Robert Lobato, e nem tem essa pretensão, apontar o dedo especificamente para ninguém, até porque aqueles que optam em fazer blog com “emoção” devem estar conscientes dos seus atos e das eventuais consequências deles.

Enfim, nunca é demais lembrar: quem avisa amigo é.



CARTA ABERTA da CHAPA 2 AOS EDUCADORES DA BASE DO SINPROESEMMA

Companheiros,

Na conjuntura atual estamos assistindo ataques aos direitos da classe trabalhadora, frutos de lutas históricas, como as reformas da previdência e trabalhista, bem como a aprovação da famigerada PEC 55 que agravará o quadro minguado de investimentos destinados aos serviços públicos. Isso vai piorar ainda mais a vida da classe trabalhadora no Brasil. O quadro da educação pública será mais difícil ainda com a intensificação do seu sucateamento, congelamento do piso salarial dos professores, precarização dos serviços docentes, técnico educacionais, administrativos e auxiliares, uma vez que não se prevê mais realização de concursos e talvez nem seletivos, mas a substituição destes instrumentos por cooperativas, fundações, etc.

Nesse contexto, a organização dos trabalhadores e suas entidades representativas passam a ocupar um papel estratégico no processo de luta em defesa da garantia desses direitos. Para tanto é fundamental que tenhamos entidades de classe com autonomia e independência política, que tenham suas ações pautadas nos interesses majoritários de sua categoria, desvinculando-se das práticas de cooptação partidária que tendem a transformar as entidades em correias de transmissão dos partidos políticos, fazendo com que seus diretores abram mão da luta em defesa dos direitos da categoria para defender seus interesses políticos-eleitorais.

E é justamente neste modelo nefasto de sindicalismo que, nos últimos anos, tem se pautado a direção do SINPROESEMMA. O que temos observado é que as ações da direção do sindicato têm como referência maior, não os interesses dos trabalhadores da educação no Maranhão, e sim, os interesses do PCdoB, partido ao qual pertence boa parte dos seus diretores. Hoje, dos 73 membros da diretoria e conselho fiscal do SINPROESEMMA, 47 são filiados ao PC do B, sendo que 8 deles integram a executiva estadual do partido.

Atualmente a situação tem se agravado, visto que o governador eleito em 2014, Flávio Dino, pertence ao mesmo partido político da maioria dos diretores do SINPROESEMMA (PCdoB) e o que temos presenciado desde então é que os dirigentes sindicais se transformaram em verdadeiros agentes oficiais de defesa dos interesses governamentais. O maior exemplo disto aconteceu neste ano de 2016, quando o governador Flávio Dino, rasgou a Lei do Piso e do Estatuto do Magistério, não concedendo o reajuste de 11,36%, que legalmente temos direito, isso levou os diretores do SINDICATO a ocuparem os meios de comunicação utilizando o seguinte argumento: “que o governo não iria conceder o reajuste por que os professores do Maranhão recebiam o segundo maior salário do Brasil”. Situação que forçou centenas de trabalhadores em educação de várias cidades do Estado a protestar, mesmo sem o apoio da direção do sindicato, através de passeatas, faixas, operação tartaruga etc. E mais uma vez a direção do SINPROESSEMA partiu em defesa do governo, dessa vez de mãos dadas com a Procuradoria Geral do Estado – PGE entrou com uma ação na justiça criminalizando o movimento legal e legítimo dos educadores do Maranhão.

E é contra todo este estado de coisas praticado por esse grupo político que se encontra há quase duas décadas na direção do SINPROESSEMA e vem utilizando a estrutura do Sindicado para viabilizar projetos pessoais e do partido, centenas de professores (as), de várias cidades do Maranhão, passaram a travar um amplo debate sobre a realidade sindical e educacional do Estado, culminando com a conjunção de uma grande frente de oposição às práticas aparelhistas-eleitoreiras praticadas por esse grupo e que teve como consequência a formação de uma CHAPA para disputar a eleição do SINPROESEMMA.

No entanto, na tentativa de impedir a participação da CHAPA DA BASE da categoria e, principalmente, evitar o confronto de ideias, é que a direção do SINPROESEMMA tem realizado uma série de manobras com o claro objetivo de FRAUDAR o processo eleitoral para continuar a frente do sindicato, garantir interesses particulares dos seus membros e blindar o governo de Flávio Dino.

Inicialmente a direção do SINPROESEMMA reuniu 206 delegados no 2º dia do CONTEMA (18/09) e alterou o estatuto do sindicato, mudando assim as regras da eleição, com o nítido propósito de inviabilizar a inscrição da CHAPA DA OPOSIÇÃO. Em seguida, tentaram intimidar o professor Antonísio Furtado com uma ação na justiça impetrada pela PGE, que estabeleceu uma multa de 500 mil reais por dia caso o professor continuasse com sua militância na luta em defesa dos direitos dos educadores. Como tal medida não teve efeito desejado na organização política dos professores, esse grupo do PCdoB quer a todo custo se manter a frente do sindicato.

Publicaram no Jornal Pequeno do dia 16/11 o edital de convocação da eleição e estabeleceram que a inscrição das chapas ocorresse num prazo de 10 dias. Ressaltamos ainda que as informações eleitorais não são amplamente divulgados pelos instrumentos de comunicação do sindicato, ficando restritas ao mural do sindicato. No dia 18/11, a chapa 1 apresentou seu pedido de inscrição e a chapa 2 só o fez no dia 25/11.

Diante desses dois pedidos de inscrição das chapas, finalizado o prazo de inscrição, a comissão eleitoral reuniu dia 26/11 (sábado) e decidiu:

1. Homologar o pedido de inscrição no pleito da CHAPA 1, apesar de constatar que vários membros da chapa apresentaram documentação incompleta e alguns, sequer comprovaram ser sindicalizados; ( Obs: A chapa 1 tem em sua composição 66% da atual diretoria do sindicato).

2. Indeferir o pedido de inscrição da CHAPA 2.

Isto evidencia o nível de comprometimento da comissão eleitoral com a atual diretoria, pois seus integrantes aplicaram as regras do regimento eleitoral viciado para a CHAPA 2 e, no entanto, desconsideraram as graves pendências da chapa 1 e a habilitaram no processo. Isso nos fez recorrer à justiça para garantir nossa participação, mediante alterações nas regras desse processo eleitoral.

Diante do exposto, conclamamos todos os educadores da base do sindicato a lutar juntamente conosco para não permitir que a eleição aconteça na base da FRAUDE e nos moldes antidemocráticos definidos pelo grupo do PCdoB que deseja se perpetuar a frente do SINPROESEMMA, para usá-lo contra a nossa categoria.


O já quase ex-prefeito de São José de Ribamar, Gil Cutrim (PDT), resolveu se preparar para deixar o cargo com uma jogada de marketing se não genial, ao menos curiosa e hilária.

Há no anedotário popular a história sobre os “Outros Quinhentos” contada pelos mais velhos e que tem sido passada de geração para geração.

Pois bem. O já quase ex-prefeito de São José de Ribamar, Gil Cutrim (PDT), resolveu se preparar para deixar o cargo com uma jogada de marketing se não genial, ao menos curiosa e hilária.

Pelas redes sociais – e blogs que ainda contam com a última Cesta de Natal operada pela Prefeitura – vemos a divulgação das 500 obras e demais ações que teriam sido feitas nos últimos seis anos pela gestão cutriniana, conforme essa imagem aqui:

Na lista milagrosa do Gil tem de tudo um pouco, ainda que alguém que se aventure a visitar a cidade de Ribamar se depare com uma dura realidade muito diferente da pintada na arte publicitária do prefeito que, diga-se de passagem, ainda não decidiu se passará ou não a faixa ao prefeito eleito Luis Fernando Silva (PSDB).

O que Gil Cupim, ops!, desculpa, Cutrim, não contava era com a criatividade dos ribamarenses em criar uma outra lista, essa bem mais próxima da real situação da minha querida cidade balneária.

Abaixo, a lista popular do que seria “Os Outros Quinhentos” da (indi)gestão de Gil Cutrim (a lista é aberta à contribuição dos ribamarenses que conhecem, como ninguém, a realidade dura, nua e crua do município de São José de Ribamar nestes que seus 6 anos de piores momentos da cidade). Confira.

1) destruiu a saúde;

2) desmontou a educação e sonegou direitos dos professores, inclusive o décimo quarto;

3) desmontou a Guarda Municipal e vendeu os carros que faziam a ronda;

4) deixou as ruas e avenidas se acabarem por falta de conservação e limpeza publica;

5) quebrou as finanças do município;

6) desempregou trabalhadores ribamarenses para empregar fantasmas moradores de outras cidades;

7) sumiu com os recursos que eram pra fazer o Distrito Industrial;

8) vendeu o sistema de água para a “Odepeste” num esquema milionário;

9) Quebrou a Fabrica de Gelo;

10) fechou a fábrica das marisqueiras;

11) fechou a cozinha escola;

12) fechou 10 postos de saúde;

13) desmontou o programa compra local dos agricultores familiares e pescadores;

14) deu calote nos empreiteiros e comerciantes ribamarenses, usando toda a grana do município para pagar só a turma do esquema dele;

15) quebrou o São José de Ribamar Esporte Clube, cortando o convênio com a Prefeitura;

16) destruiu as praças e os Vivas do Município;

17) criou o fundo de previdência para sonegar o INSS dos servidores, que ficarão impedidos de se aposentar;

18) acabou com o caminhão da juventude;

19) acabou com o programa de voluntários;

20) fechou a biblioteca das vilas;

21) fechou as duas quadras esportivas da praia de banho e o complexo de esportes da Vila Julinho;

22) abandonou a obra de construção do Liceu III;

23) fechou a escola de música do município (deu cupim até no Piano caríssimo fruto de doação feita no passado);

24) desmontou o programa meninos do Santuário;

25) destruiu o posto de salva vidas da praia de banho;

26) fechou a clínica de reabilitação dos alunos especiais da Escola Maria Amélia Bastos;

27) cortou salários e gratificações dos servidores;

28) viajou 12 vezes para o exterior e fez farras internacionais;

29) construiu a maior e mais luxuosa residência de São José de Ribamar, e comprou, por mais de 5 milhões de reais, apartamento no prédio mais caro e luxuoso de São Luís e comprou 4 carros importados;

30) Não pagou as bandas que se apresentaram no lava pratos;

31) Acabou com o turismo local da cidade;

32) Deu calote em pequenos empresários locais;

33) Contratou empresa do pai (claro que com limão e laranjas) para gerir o hospital municipal;

34) acabou com os medicamentos das UBS;

35) acabou com as duas cadeira odontológica da UBS do Miritiua;

36) Acabou com os Jogos Escolares Ribamarenses;

37) Acabou com a quadra poliesportiva da vila Dr. Julinho;

38) Acabou com a emissão gratuita de carteira estudantil;

39) Há quatro meses não paga gratificações dos professores por dobra de carga horária…


Encontro irá abordar a aceitação e a convivência entre pais e filhos

Encontro vai abordar a convivência entre pais e filhos | Crédito: Shutterstock

Vida Simples Digital

A professora de dança e coreógrafa Katia Gontijo está promovendo neste dia 10 de dezembro uma vivência muito bacana sobre “Aceitação da Criança Desafiadora”. Katia é mãe de Mateus, de 12 anos, um garoto que tem Síndrome de Down.

“Nestes 12 anos, tenho o privilégio de conviver diariamente com essa criança desafiadora e, nesse caminho, tenho aprendido muito. Sou muito procurada pra dividir minha experiência com Mateus e é com este sentimento de cooperação e profundo entusiasmo pelo compartilhar que tenho agora a oportunidade de unir pessoas que convivem com estas crianças”, diz ela, que trabalha há 15 anos com massagem e ioga para bebês e crianças.

No encontro, Katia vai falar sobre a importância da aceitação por parte dos pais, que tem filhos com Síndrome de Down, com paralisia cerebral, Transtorno de Espectro Autista, entre outros.

“Não existe um método, mas juntos, com o propósito de se auto observar, de ouvir o outro e de silenciar (meditação) e outras de ferramentas, vamos descobrir esse caminho individual e acessível”, completa.

As inscrições podem ser feitas pelo email contato@newways.net

New Ways – Centro de Evolução do Ser: rua Mourato Coelho, 134

Dia 10 de dezembro, das 10h as 14h, R$ 260


adriano-na-tribuna-18-10-2016-001Em mais uma medida que altera as leis tributárias, o Executivo atinge a cadeia produtiva da avicultura no Maranhão

O deputado estadual Adriano Sarney (PV) advertiu a população maranhense para o Projeto de Lei número 205/2016, que atinge o setor de avicultura do estado, principalmente os pequenos criadores. O projeto foi aprovado em primeiro turno, com voto contra do parlamentar, na sessão desta quarta-feira (7).

“A proposta do governo visa antecipar a arrecadação e sobrecarregar o produtor. O projeto trata de um assunto complexo, pois estipula uma margem de lucro em torno de 40% para o avicultor, mas não apresenta nenhum estudo confiável para dar base a esse prognóstico. Então, eu pergunto: Em meio à crise financeira do país, qual é a atividade no Maranhão que gera 40% de lucro?”, indagou Adriano.

O deputado também alertou a população maranhense para o que ele denominou de golpe, referindo-se à estratégia do governo Flávio Dino (PCdoB), de enviar uma reforma tributária em fatias, ou seja, dispersa em vários projetos de lei, de forma sorrateira e sem transparência, para votações em regime de urgência na Assembleia.

“O governador tenta passar despercebidamente uma reforma tributária. Nós estamos no trâmite de votação de mais de dez projetos de lei de ordem tributária sem ter a chance de discutir devidamente as propostas. Dessa forma, o governo está transformando a Assembleia em uma espécie de anexo do Palácio dos Leões, nos levando a votar aumento de ICMS por requerimento de urgência, votar aperto contra os empresários (micro, pequenos e de grande porte), aperto no bolso da população do Maranhão, tudo isso em meio a uma grave crise econômica e financeira nacional”, declarou.

OUTROS:
– Lei 10.522: Estabelece multa de mora de 0,33% por dia de atraso nos débitos de ICMS.
– Lei 10.489: Delimita a utilização e transferência dos saldos credores acumulados do ICMS em decorrência de operações de exportação de mercadorias.
– Lei 10.356: Autoriza o Governo a exigir de contribuinte do ICMS a aposição de selo fiscal em vasilhame de água mineral.
– Lei 10.329/2015: Aumenta de 17% para 18% a alíquota de ICMS.
– Lei 10.328/2015: Estabelece nova tabela ao Código Tributário Estadual.
– Projeto de Lei 202: Trata da aplicação de juros e multa em débitos de natureza não tributária, ou seja, multas de autarquias, preços de serviços prestados por órgãos públicos, entre outros.
– Projeto de Lei 203: Trata da tributação do ICMS para instalação e operação de usina termelétrica movida a gás natural e de unidade de processamento de gás natural.
– Projeto de Lei 204: Altera dispositivos de regulamentação do ICMS que tratam do regime de antecipação tributária.
– Projeto de Lei 205: Dispõe sobre antecipação do ICMS pelo produtor nas saídas internas (vendas) para pessoa não inscrita no cadastro de contribuintes do imposto, ou seja, o consumidor.


O ex-juiz Márlon Reis se posicionou quanto à polêmica em torno do debate da lei anticorrupção que tramita no Congresso Nacional, e aproveitou para comentar a respeito da emenda apresentada pelo deputado federal Weverton Rocha (PDT), que tipifica o crime de abuso de autoridade contra magistrados e membros do Ministério Público.

As declarações do Márlon foram dadas ao jornal O Estado do Maranhão, edição desta quarta-feira, 7.

Para o jurista, a ‘Emenda Maragato’ fragiliza a independência funcional dos integrantes das carreiras de magistrados, promotores e procuradores.

“A redação do projeto foi muito infeliz. Apresenta conceitos abertos, como ‘honra e dignidade’ que podem servir de argumento para a perseguição de juízes e promotores independentes, com coragem para tomar decisões que afetem poderosos. É importante atualizar a Lei sobre Abuso de Autoridade. E a magistratura e o Ministério Público não podem ser excluídos nessa legislação. Mas, não se pode conceber normas que, a pretexto de combater abusos, fragilizem a independência funcional dos integrantes dessas carreiras”, disse.

Márlon deixou a magistratura no primeiro semestre deste ano para se dedicar à atividade da advocacia com escritório em São Luis e Brasília, e ganhou notoriedade no Brasil e no exterior por ser um dos idealizadores da Lei da Ficha Limpa.

Da mesma forma, o jurista maranhense desafiou os políticos corruptos ao publicar O Nobre Deputado, livro em que Márlon Reis revela os bastidores de práticas que levam corruptos ao Congresso Nacional.

É com essa postura de combatente inflexível da corrupção e com a respeitabilidade conquistada no meio política (do bem) e no conjunto da sociedade, que Márlon Reis quer carimbar o seu passaporte para o Senado da República.

E foi respaldado na sua biografia que o juiz da Ficha Limpa fez o contraponto democrático ao deputado federal Weverton Rocha, outro pretendente ao cargo de senador.