Soa estranho, para dizer o mínimo, um estado pobre como o Maranhão se gabar de faz poupança com recursos de um setor extremamente frágil que, ao invés de ter dinheiro poupado, teria que receber mais e mais investimentos para fazer o sistema funcionar a contento.

O governo Flávio Dino já mostrou que é bom de propaganda. Aliás, o ex-candidato a governador Luis Fernando já havia previsto que, uma vez eleito, Flávio faria um “governo do gogó”. Bingo!

No bojo da crise provocada pelo caso Idac, o Palácio dos Leões saiu coma tática publicitária curiosa que não se sabe ao certo se ajuda ou complica ainda mais a situação do governo na área da saúde.

Conta a lenda oficial, que nesses poucos mais de dois anos de gestão Flávio Dino já foram economizados mais de meio bilhão de reais. Parabéns por tamanha autoridade!

Entretanto, soa estranho, para dizer o mínimo, um estado pobre como o Maranhão se gabar de faz poupança com recursos de um setor extremamente frágil que, ao invés de ter dinheiro poupado, teria que receber mais e mais investimentos para fazer o sistema funcionar a contento.

E o que mais chama atenção nessa tal “economia de mais meio bilhão de reais” é que nada melhorou. Pelo contrário!

Na gestão “corrupta” do senhor Ricardo Murad, o sistema de saúde funcionava em todos os cantos e recantos deste estado. Aí não dá para entender como é que com um secretário que “roubou” mais de um bilhão de reais da Secretaria de Saúde fazia os hospitais macrorregionais e as UPA’s funcionarem, por exemplo, e atual gestão que fez uma economia da metade desse valor levou à saúde maranhense a um estado de sofrência.

Enfim, no que na área da propagando o Governo do Maranhão é show – será que parte da “economia” na pasta da Saúde foi para a Comunicação? – não se pode dizer o mesmo quando o assunto é a gestão.

No geral temos uma gestão pífia beirando à mediocridade.

Está aí o setor da saúde em frangalhos para comprovar essa assertiva.

7 comentários em “Caso Idac: Para onde foi a “economia” de meio bilhão na saúde do Maranhão?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *