FRASE DO DIA

Pretendo ser candidato ao Governo do Maranhão pelo PSB e com apoio do PSDB.

(Roberto Rocha)

6 Comentários

protocolo

São Luís – A coligação “Pra Frente Maranhão”, integrada pelos partidos PRB, PT, PTB, PMDB, PSL, PTN, PSC, PR, DEM, PRTB, PHS, PMN, PV, PRP, PEN, PSD e PTdoB, protocolou nesta terça-feira (23), na Superintendência Regional da Polícia Federal no Maranhão, pedido de investigação de um vídeo divulgado pela internet, segundo o qual, partidos políticos e candidatos estariam envolvidos com o crime organizado na capital. O requerimento tem como finalidade averiguar e apurar todos os fatos.

O coordenador da campanha do candidato Lobão Filho ao Governo do Maranhão, Márcio Coutinho; e o advogado da coligação “Pra Frente Maranhão”, Ruy Villas Boas, chegaram à sede da PF com o ofício e pontualmente às 16h55 entregaram no Setor de Protocolo para posterior deferimento do delegado-superintendente da Polícia Federal, Alexandre Saraiva.

Para Márcio Coutinho, todas as dúvidas devem ser apuradas, a fim de que nenhuma especulação política permaneça e nem mesmo sejam divulgadas de forma inverídica. “Queremos com a entrega deste documento na Polícia Federal, acelerar as apurações, pois precisamos de respostas. Entre elas se o preso existe, o nome, e sua localização. E finalmente se o vídeo é verdadeiro e os relatos autênticos”, pontuou.

Márcio Coutinho ainda repudiou qualquer tipo de “armação política” que queira se aproveitar de denúncia de natureza tão grave. “Não queremos de forma alguma politizar, mas infelizmente nossos opositores querem se aproveitar. O que queremos é uma investigação célere. Isso é caso de polícia, não de política”, enfatizou o coordenador da coligação “Pra Frente Maranhão”.

O candidato ao governo do Maranhão, Lobão Filho, que se encontra no interior do Estado em campanha, foi quem, ao tomar conhecimento do vídeo, determinou que todos os procedimentos legais sejam tomados e a verdade esclarecida.


patury

Roberto Rocha discursa ao melhor estilo Flávio Dino: com as mãos para o alto.

Naquele velho tom professoral que lhe é característico, o vice-prefeito de São Luis, e candidato a senador Roberto Rocha (PSB), disse ao jornalista e colunista da revista Época, Felipe Patury, que: “Só uma hecatombe fará clã Sarney vencer no Maranhão”.

Bom, alguém precisa dizer a meu xará que somente os dados das pesquisas dos “nossos institutos” não são suficientes para o candidato socialista dar tamanha declaração como essa disparada ao jornalista Felipe Patury. O próprio Roberto Rocha vive ensinando nas suas “aulas” sobre política que há duas formas de um candidato perder eleição: uma é achar que já perdeu; e a outra é achar que já ganhou. Talvez meu nobre amigo tenha esquecido desta lição.

Roberto é um político inteligente, mas costuma viajar muito na maionese, sem falar que perde muito temmaionesepo em análises, conjecturas, prognósticos e até em exercícios de futurologia política. Aliás, conta a lenda que um grupo de amigos conversavam numa mesa de bar sobre os conflitos no Oriente Médio quando um deles perguntou qual seria a possível solução para a paz definitiva na região. Aí um gaiato se apressou e respondeu: “Pergunte ao Roberto Rocha que ele deve ter uma solução”. 🙂

O fato é que Roberto Rocha deve ter muito cuidado não somente com as “viagens filosóficas” tipo essa da “hecatombe”, mas, principalmente, no estilo de fazer política e campanha que não agrada sequer seus aliados de caminhada eleitoral (em recente reunião com vereadores de São Luis o desempenho do “marineiro” foi um desastre, segundo uma fonte presente).

Enfim, se nesta campanha não mudar o perfil, o estilo e o jeito de se relacionar com os correligionários, aliados e principalmente com o povo, Roberto Rocha poderá realmente ver uma “hecatombe” desarrumar a eleição para o Senado Federal.

Gastão Vieira – 151, agradece.


Com certeza não será se por falta de candidatos a deputado estadual que o eleitor ficará sem votar nas eleições de outubro. Candidatos a uma vaga para a Assembleia Legislativa tem aos montes, para tudo que é gosto.

Agora, candidato, ou candidata, com propostas você confere nos dedos (e de uma mão só) quantos têm.

 O atual vice-prefeito de Pinheiro e candidato a deputado estadual César Soares-13456, por exemplo, é um dos poucos que apresentam algum conteúdo no programa eleitoral gratuito. O petista tem sido uma das boas revelações pela qualidade e inovação de suas propostas apresentadas na telinha.

Soares mostrou, em seu primeiro programa, o compromisso de iniciar uma campanha para transformar os campos, rios e lagos da Baixada Maranhense em “Patrimônio Natural da Humanidade”. Hoje, a Baixada já é uma APA – Área de Preservação Ambiental.

O objetivo seria chamar a atenção para o grande potencial do ecoturismo da região, rica em fauna e flora, semelhantes ao Pantanal Matogrossense. Ademais, a região tem uma vocação natural para atividades da pesca artesanal e da aquicultura.

No programa, o jovem candidato lembra que a Região dos Lençóis Maranhense, ao conquistar esse reconhecimento de Patrimônio Natural da Humanidade, atraiu turistas de todas partes do mundo. A indústria do turismo é a mais barata, além de gerar muitas oportunidades de trabalho e renda.

Uma pena que o horário eleitoral, pelo número de candidatos, é limitado a poucos segundos. Mas o eleitor poderá, em breve, assistir a todos os programas do candidato César Soares através do site  www.cesarsoares13456.com.br, ou se preferir na fanpage do candidato do Facebook.

Blog do Robert Lobato deseja sucesso ao candidato e recomenda aos leitores que conheçam as ideias e propostas de César Soares-13456.

Confira o o programa sobre a propostas de transformar os campos e lagos da Baixada Maranhense em Patrimônio Natural da Humanidade:


O casal Eunélio e Ana Mendoça: os reis do gás.

Vou seguir no rumo do meu amigo de blogosfera e ex-amigo de “Amarelinho”, Cunha Santos, que nesta manhã andou “falando” sobre “gás”, do gás da Ana e da Ana do Gás – aquela candidata a deputada estadual cujo principal referencial político é ser esposa do prefeito de Santo Antônio dos Lopes, Eunélio Mendonça, por conseguinte, o “Eunélio dos Gás”.

Completamente desconhecida do grande público maranhense até o início deste ano eleitoral, Ana do Gás se tornou vedete na campanha como sendo uma espécie de Eike Batista de saia quando o assunto é dinheiro, ou gás, como queiram.

A mulher tá podendo tanto que até velhas caras, e caras velhas, como o deputado comunista (?!) Raimundo Cutrim, andaram reclamando do poder de “queimação de gás” da concorrente deles à uma vaga na Assembleia Legislativa.

Antes de continuar dentro do assunto, peço um parêntese para contar uma historinha. Assim.

Certa vez estava tomando um chope no balcão de um bar no São Luis Shopping e puxei conversa com um senhor, que estava do meu lado, perguntando a ele como seria possível algumas lojas conseguirem se manter ali quando não víamos movimento algum de clientes dentro delas.

Foi quando ele deu esta resposta bem curiosa: “Amigo, muitos maridos que têm dinheiro abrem lojas para suas esposas para elas não ficaram em casa sem fazer nada. Não estão nem interessado que o negócio dê lucro, mas apenas dar uma ocupação para as mulheres”.

Voltando aos gazes.

Bom, não vou ter a ousadia de dizer que o prefeito de Santo Antônio Lopes deseja dar um mandato de deputada estadual à esposa para que ela tenha uma ocupação, até porque ele poderia muito bem usar a estratégia dos maridos que abrem lojas nos shoppings para as companheiras. Talvez o “Eunélio do Gás” queira mesmo ajudar o povo da sua cidade e região através de mais um mandato popular, agora no parlamento maranhense.

Porém, engana-se quem pensa que a Ana do Gás seja boba politicamente. Não é não, pelo contrário, tem demonstrado ter a leveza de um gás ao dobrar, por exemplo, com o líder da oposição na Assembleia Legislativa, Rubens Pereira Júnior, do PCdoB, candidato a deputado federal, e ao mesmo tempo fazer uma discurso radicalizado, em Lima Campos, dizendo que “só vale a pena eleger a Ana do Gás se eleger também o Lobão Filho”. Te mete!

Sei não, meu caro Cunha Santos, mas acho que essa tem rumo, ops, tem gás suficiente para chegar na CP* e levar mais um da coligação no rastro no cheiro do gás dela, Só não pergunte se o gás é cheiroso…

E para que não nuca viu a mulher discursando no palanque, assista ao vídeo a seguir e confira a performance de Ana do Gás, durante ato pró-Lobão Filho no município de Lima Campos.

*CP – “Casa do Povo”, ou seja, a Assembleia Legislativa. 


leo_barreirinhas

Leo Costa organiza recepção aos médicos cubanos,

Dois médicos cubanos (Dr. Manuel Antonio Palma Nunes e Dr. Yoandy Rodriguez Armentero), do programa “Mais Médico”, do Governo Federal, foram apresentados à população das duas comunidades pelo prefeito de Barreirinhas, Léo Costa, numa grande festa popular, da qual participaram lideranças comunitárias, agentes de saúde, além dos vereadores Nilbão, Charles Bral e Bajuca e equipe de diversas secretárias do governo municipal – como a assessora de Planejamento, Sandra Torres, a secretária de Saúde, Socorro Itapary, a secretária de Assistência Social, Salete, e o chefe de Gabinete, Antonio Caldas.

Dr. Manuel vai residir e trabalhar no povoado Palmeira dos Eduardo, atendendo às familias dos povoados que ficam naquela região do município; enuanto que Dr. Yoandy vai atuar no povoado Mamede, atendendo a população daquela região.

Para o prefeito Léo Costa o programa “Mais Médico” possibilita uma experiência inédita no Brasil. “O médico passa a morar na zona rural, atendendo as comunidades vizinhas, e portanto, mais perto das famílias e podendo melhor conhecer os problemas e acompanhar a situação da saúde de cada um”.

Barreirinhas já foi contemplada com quatro médicos cubanos. Os outros dois são: Dra. Nurdes Serrano, que reside no povoado Atins deste o final do ano passado – atendendo a população da região das praias; e Dr. Jorge Antonio, que reside no povoado Varas e atende as famílias daquela região.

[Por Gil Maranhão]


A seguir nota do presidente estadual do PT, Raimundo Monteiro, sobre a decisão da Executiva Nacional, que em reunião realizada nesta segunda-feira, 26, decidiu não reconhecer a deliberação do Encontro de Definição de Candidatura que, no último sábado, 24, aprovou o nome de José Antônio Heluy para compor a chapa ao governo com o senador Lobão Filho na condição de vice-governador. Veja.

notapt


Por Alberto Dines

Os do Globo estão oferecendo um show de investigação jornalística – na retomada do caso do Riocentro e na identificação dos responsáveis pelo assassinato do deputado Rubens Paiva nas dependências do DOI-Codi, no Rio de Janeiro.

Mas na apuração das responsabilidades pela morte do cinegrafista da Band Santiago Andrade atingido na cabeça, há três semanas, por um rojão durante violento protesto no Rio, algumas ausências e assiduidades chamaram a atenção.

A mídia ninja não deu o ar da sua graça tanto na identificação dos culpados pela tragédia como nos desdobramentos quando um dos responsáveis acusou partidos políticos de pagar diárias a manifestantes. A mídia ninja tem todos os atributos em matéria de agilidade, organização e compromissos públicos para antecipar-se à mídia tradicional. Não o fez, não se sentiu convocada, evaporou. Inclusive quando o Globo veiculou suspeições sobre o comportamento do deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL-Rio) o que gerou um tremendo e instrutivo debate público sobre o papel da imprensa (ver “Freixo outra vez”, “O dever de um jornal”, “A exaltação de um factoide”, “O dever de um jornal II”, “Jornalismo a serviço de quê?” e “Freixo e a violência”).

O que falta

Não foram os representantes do nobre segmento da reportagem investigativa que analisaram os vídeos realizados por cinegrafistas de diferentes emissoras, e com a ajuda do perito Nelson Massini identificaram prontamente os responsáveis pelo disparo do artefato. Os responsáveis pela façanha foram editores de imagem da TV Globo, profissionais que dispensam galardões, etiquetagem e categorias, empenhados apenas em fazer um bom trabalho.

Mas quem apareceu liderando as listas de votos de pesar e de protesto – sobrepondo-se mesmo à Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) e à secular Associação Brasilera de Imprensa (ABI) – foi a Abraji, Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo, entidade que merece aplausos pelo trabalho na esfera de treinamento e motivação.

Mas a Abraji não dispõe de um corpo de repórteres investigativos; em outras palavras: não investiga, não promove a investigação. Seus associados são os repórteres que se consideram investigativos – todo repórter é, em princípio, investigativo – e trabalham para jornais, revistas, emissoras de rádio, TV, blogs, sites e portais.

Nossa sociedade carece de veículos jornalísticos – de qualquer porte –, eles é que têm a legitimidade e a obrigação de esquadrinhar, inquirir, perquirir, devassar, vigiar e fiscalizar o desempenho do poder público e privado.

A violência nas manifestações que tirou a vida de Santiago Andrade é um caso em aberto, quase esquecido. Também a violência do debate sobre a violência. Falta é investigação.


Religião e política andam de mãos dadas desde que um belo dia uma mosca azul picou o homem, lá nas cavernas.

Religião é a política feita com determinado livro sagrado debaixo do sovaco, seja a Bíblia, Torá, Acorão etc.

Nunca fui afeito, porém, fazer exploração religiosa em um processo eleitoral no sentido de demonizar ou santificar esse ou aquele candidato. A religião deve ser exercida de maneira que o “rebanho eleitoral” seja respeitado.

E por que falo dessas coisas? Por causa de disso aqui, vejam:

A imagem ganhou as redes sociais.

É verdade que Holandinha está provando do mesmo veneno que deu aos comunistas em 2008, mas o debate que os ludovicenses desejam é em torno do que o candidato dos comunistas tem a propor para a cidade.

Não interessa a fé que o candidato professa: se é cristão convicto, se se transformou em simpatizante do comunismo, se hoje entende que foi um equívoco a “perseguição” aos comunas na eleição passada, enfim, nada disso é o fundamental. Aliás, seria conveniente, e até sensato, Holandinha fazer uma mea-culpa quanto à agressividade com que o PTC tratou o então candidato do PCdoB a prefeito de São Luis, Flávio Dino, em 2008.

Se for para inserir o debate sobre religião no processo eleitoral, que seja em uma dimensão libertária, humana e progressista, e não em forma de “guerra santa” como setores conservadores costumam fazer.

Se nestas eleições estão irmanados na mesma coligação comunistas, socialistas e cristãos trabalhista, deve-se muito mais ao pragmatismo eleitoral (que pode ser questionado assim como muitos questionam a aliança PT/PMDB), do que mudança de fé ou convicção ideológica/religiosa dos atuais aliados.

Eleição não é uma guerra entre Deus e o diabo.

O eleitor merece respeito.

E deseja eleições limpas.


O presidente municipal do PSB em São Luis, Roberto Rocha, concederá daqui a pouco, às 9h30, uma coletiva à imprensa, na Assembleia Legislativa do Maranhão.

Rocha falará sobre os últimos acontecimentos no PSB, com destaque à derrota que conseguiu impor à dupla “Zezé”, José Reinaldo e José Almeida – o socialista conseguiu fazer com que a Direção Nacional do PSB o reconduzisse ao comando do partido na capital e ainda operou a destituição o grupo Tavares/Almeida do controle da estadual.

O socialista também anunciará a aliança do PSB com o PTC em apoio à candidatura de Edivaldo Holanda Júnior à prefeito de São Luis. Rocha será o companheiro de chapa de Holandinha.