Via Arimatéia Azevedo, Portal AZ (TERESINA-PI)

Governo sob suspeita

É de se imaginar que o governo comandado por um ex-juiz federal, e, portanto, conhecedor, por dever, das leis, tenha como sua base a transparência, a moralidade e o respeito ético ao cidadão. Mas não é o que se tem observado na gestão do Flavio Dino, do vizinho estado do Maranhão. O Governador continua permitindo ação de lobistas e empresários com passado muito pouco recomendáveis, e, além disso, também continua contratando despesas e gastos inexplicáveis, como o aluguel de imóveis de amigos e protegidos para o governo do Estado. A coluna já antecipou aqui que um sobrinho do deputado federal Marcelo Castro continua operando na revenda de medicamentos, sem licitação e está fazendo uma verdadeira farra de negócios no estado do Maranhão, através de uma empresa terceirizada. Também existem criticas e investigações na Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares, que é o órgão do governo que assumiu o papel de recrutar mão de obra terceirizada para a saúde estadual, que cobra quase três vezes o preço praticado no mercado e é uma brecha permanente para contratação de protegidos dos políticos do governo. Além disso, a casa onde funcionou o QG de Comunicação da campanha política do então candidato Flávio Dino foi alugada para a Secretaria de Estado da Saúde, desde dezembro de 2015, por R$ 16,5 mil ao mês, ou seja, mais de R$ 200 mil ao ano. Por último, foi revelado pela imprensa do Maranhão que um filiado do PCdoB é o proprietário de um prédio onde funcionou o comitê do PCdoB em 2014, e hoje está alugado para outro órgão estadual, a Fundação da Criança e do Adolescente, demonstrando que a escolha de imóveis para o governo Flávio Dino (PCdoB) está intimamente vinculada à falta de princípios e critérios. Dentre esses supostos desmandos, falhas éticas e de conduta, vai-se firmando a ideia de um governo cada vez mais distante das expectativas do povo que o elegeu.

2 comentários em “Deu no Portal AZ: Governo sob suspeita

  • Outrora se desviou muito dinheiro público no Maranhão via o dirigismo de obras e fornecimentos de materiais ao Governo do Estado. Lembro que não década de 80 quase todos os deputados e secretários de estado eram donos de construtoras e empresas de fornecimento de materiais ou eram ligados umbilicalmente a essas empresas. Os tempos passaram e tudo deu muito à vista. Em seguida arrumou-se outra forma de se locupletar, via sinecuras fantasmas em diversas secretarias, poderes e órgãos de controle externo, às vezes em forma de troca de favores entre os poderes. A coisa evoluiu, e tanto no estado como na prefeitura de São Luís passou-se a locar imóveis de amigos e correligionários, todos com deslavados favorecimentos por dispensa de licitação pra reduzir o máximo a publicidade dos contratos. Dizem que se loca, hodiernamente, até imóvel fantasma sem localização!!

    Hoje, no governo do ímprobo Flávio Dino, se aprimorou as três formas imorais de se desviar dinheiro público, a farra é escancarada. Valha-me Deus a quem devemos recorrer!?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *