O parlamentar pode fazer do limão uma limonada dessa “CPI do Play” e sair fortalecido. Ou seja, ela, a “CPI do Play” pode ter efeito contrário do que pretende.

Bom, está evidente que o suplente de deputado estadual Marcos Caldas (PSDB), o Marcos Play, foi escalado sob medida pelo Palácio dos Leões para ser a “mosca na sopa” de Wellington do Curso (PP) na Assembleia Legislativa do Maranhão.

E já ‘chegou chegando’, como diz o povo, propondo uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar as denúncias feitas por Wellington sobre suposta propaganda enganosa do Governo do Estado em relação à educação, mas precisamente sobre o programa Escola Digna, a menina dos olhos do governo comunista.

A ‘CPI do Play’, como já está sendo chamada, é tão bizarra quanto o seu proponente.

Ora, como querer instalar uma CPI para investigar se um deputado mentiu no exercício do seu mandato? Onde se viu uma CPI para constranger a atuação de parlamentar que foi eleito para, entre outras coisas, fiscalizar o Poder Executivo? Isso não é só uma tremenda falta de respeito com a atividade parlamentar de um colega como é uma completa loucura!

Wellington pode ser considerado meio pancado das ideias, mas não é burro. Com certeza vai saber tirar proveito dessa proposta, aí sim!, burra de Marcos Caldas.

O progressista pode fazer do limão uma limonada dessa “CPI do Play” e sair fortalecido desse debate. Ou seja, ela, a “CPI do Play” pode ter efeito contrário do que pretende.

Quem teria sido gênio palaciano que saiu com essa?

Com certeza não foi o nosso teacher of god…

2 comentários em “Educação: “CPI do Play” pode ter efeito contrário e fortalecer Wellington do Curso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *