Aumenta a cada dia o número de pessoas que desistem da vida praticando suicídio. E o mais chocante: cresce nesta triste estatística o índice de suicidas jovens entre  de 15 a 29 anos, que já é maior do que casos entre os idosos com  mais de 70 anos.

Os dados são de um relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS), divulgado em 2014, onde revela que mais de 800 mil pessoas se suicidam todos os anos, representando uma morte a cada 40 segundos, podendo chegar a 1,6 milhão de mortes por ano em 2020. Já as tentativas de suicídio são estimadas em 20 vezes a de suicídios consumados, ou uma tentativa a cada 2 segundos.

Pode-se afirmar que o suicídio é um ato silencioso, mas que demostra sinalizações visíveis da parte de quem deseja praticá-lo.

Especialistas alertam suicídios são mais do que fatalidades. Pesquisas acadêmicas revelam que pelo menos 90% dos adolescentes que se matam têm algum tipo de problema mental. Eles variam da depressão – a principal causa para suicídios neste grupo – e passam por ansiedade, violência ou vício em drogas.

Pelo menos 17% das pessoas no Brasil já pensaram, em algum momento, em tirar a própria vida. E qualquer um nós pode estar sujeito à sinistra tentação de tirar a própria vida.

Alguns dados

  • A taxa mundial de suicídio é de 11,4 por 100 mil habitantes (15,0 para homens e 8,0 para mulheres);
  • No Brasil, o índice de suicídios na faixa dos 15 a 29 anos é de 6,9 casos para cada 100 mil (índice de mulheres é de 2,6 e de homens 10,7. Mas entre 2010 e 2012 um números de suicídio entre a população feminina aumentam em 18%).
  • 75% dos casos de suicídio ocorrem em países subdesenvolvidos ou em desenvolvimento, crescendo principalmente entre os jovens;
  • Historicamente mais comum entre os idosos, o ato vem crescendo entre pessoas de 15 a 44 anos;
  • Acidentes são a principal causa de morte no mundo com 11,6% do total.
  • O suicídio aparece em segundo lugar com 7,3% das mortes.
  • Dados Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), do Ministério da Saúde mostram que 3,15 % das mortes registradas no Maranhão em 2010 foram por suicídio.

Como identificar um potencial suicida

Em tese, pelo menos, é possível identificar o comportamento de uma potencial suicida. Via de regra os sintomas são de tristeza profunda, apatia, indisposição de sair de casa ou até mesmo do quarto, não desejar contato com ninguém mesmo os familiares, entre outros tais como:

  • Dizer frequentemente que vai se matar;“não aguento mais”, “eu queria sumir” e “eu quero morrer”, Fazer um testamento;
  • Começar a tratar de assuntos pendentes de repente;
  • Ir visitar amigos ou familiares que já não via há muito tempo;
  • Comprar uma arma, mangueira, corda ou comprimidos, por exemplo;
  • Escrever uma nota de suicídio;
  • Ficar muito triste ou muito contente de repente;
  • Perda de interesse em atividades que gostava.
  • Drogas e depressão

Como combater o suicídio

O Conselho Federal de Medicina (CFM) e a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) firmam parceria para combater os altos índices de suicídio no Brasil e entre as várias ações saiu a produção de uma cartilha para orientar os médicos e profissionais da área de saúde em casos de tentativa de suicídio ou para identificarem possíveis casos em seus pacientes. A cartilha serve também para as famílas.

Intitulada “Suicídio: informando para prevenir”, a cartilha fala sobre como abordar um paciente, explica de que forma as doenças mentais podem estar relacionadas ao suicídio, os fatores psicossociais e dados atualizados sobre o tema.

Conheça e compartilhe a cartilha “Suicídio: informando para prevenir”.

Fontes:

http://www.ceert.org.br/noticias/saude/8680/oms-suicidio-ja-mata-mais-jovens-que-o-hiv-em-todo-o-mundo

http://www.abp.org.br/portal/conheca-a-cartilha-para-combater-o-suicidio/

http://portal.fiocruz.br/pt-br/content/suicidio-brasil-e-8o-pais-das-americas-com-maior-indice

http://www.flip3d.com.br/web/pub/cfm/index9/?numero=14

http://www.deepask.com.br/goes?page=Confira-o-numero-de-suicidios-no-Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *