FRASE DO DIA

Serra, o entreguista, errou de aposta nos EUA foi congelado por Trump;quis remediar entregando Alcântara, Exército vetou; virou mico.

(Roberto Requião)

Comentar

Por Marcela Vaz (da redação TechTudo)

Anonymous é um grupo hacktivista internacional. Formado por membros anônimos, como o próprio nome indica em inglês, o grupo atua em diversas frentes, geralmente “defendendo causas em prol da sociedade”, como eles costumam se posicionar. Como forma de protesto, o Anonymous invade páginas na Internet e derruba sites.

Grupo Anonymous em protesto contra a Igreja de Cientologia, em Hollywood (Foto: Divulgação)

Alguns dos protestos do Anonymous foram:

1. Lançar seu próprio “Megaupload” em resposta ao fechamento de um dos maiores sites de downloads. O Anonyupload estaria sendo desenvolvido com propósitos equivalentes;

2. Liberar catálogo de músicas e filmes da Sony;

3. Atingir a empresa de pagamentos online PayPal em dezembro de 2010, quando o grupo incentivou o boicote ao site e à livraria online Amazon em defesa do Wikileaks, responsável por tornar público documentos confidenciais do governo norte-americano;

4. Derrubar cerca de 40 sites que, segundo o grupo, incentivavam a pedofilia. Como parte da ação, o grupo divulgou os nomes de cerca de 1.500 suspeitos do site “Lolita City”, que podem ser usuários cadastrados no site ou pessoas envolvidas no seu desenvolvimento e administração;

5. Publicar um vídeo anunciando planos para derrubar o site da Fox News no dia 5 de novembro de 2011. O motivo seria o fato da emissora praticar, segundo o grupo, um jornalismo de notícias tendenciosas, principalmente na cobertura do movimento Occupy Wall Street;

6. Os ativistas da Internet divulgaram um vídeo anunciando que um de seus membros havia sido sequestrado pelo cartel mexicano Zeta e exigiram a sua liberação. Caso isso não acontecesse, eles prometiam uma vingança em alto nível, com a divulgação de dados pessoais de membros do cartel de drogas.

Orgãos da polícia de diversos países já efetuaram prisões de suspeitos de participarem do grupo. Na maioria das vezes, os acusados são jovens com idade entre 20 e 30 anos. Alguns deles chegaram a ir a julgamento e foram condenados. A Scotland Yard, da Inglaterra, e o FBI, dos Estados Unidos, costumam atuar em parceria nas investigações. No Brasil, hackers podem responder por atentado contra a segurança ou funcionamento de serviço de utilidade pública, crime que prevê punição de um até 5 anos de reclusão, além de multa.

Máscara de Guy Fawkes

A famosa máscara usada pelos ativistas do Anonymous nos protestos foi desenhada por David Lloyd para o livro V de Vingança (Panini Comics, 1998), que também virou filme em 2006. A inspiração nasceu da história do anarquista inglês Guy Fawkes, que tentou um frustrado atentado explosivo contra o parlamento no século XVII.


O presidente do Comitê de Imprensa da Assembelia Legislativa do Estado do Maranhão, Jonaval Medeiros da Cunha Santos (foto), divulgou nota de esclarecimento, nesta tarde, onde nega que houve autoritarismo na decisao de limitar o acesso ao comitê somente à profissionais diplomados no curso de Comunicação, conforme postagem deste blog (abaixo).

Na nota, Jonaval Santos afirma ainda que os jornalistas que prestam assessoria de imprensa poderão frequentar o comitê desde que estajam credeciado pelo mesmo.

Por fim, o presidente garante não ter nada contra as mídias livres, mas faz a seguinte ressalva corporativista: “se todo que adotar um blog for alçado à condição de jornalista profissional será o fim dos cursos de comunicação, dos registros na DRT e da própria profissão de jornalista”.

Comentário do Blog: Ora, não se trata de “alçar” os blogueiros à condição de jornalistas, mas sim de reconhecer que muitos mídias livres fazem um bom trabalho de cobertura das ações da Assembleia Legisltiva, muitas vezes com o mesmo profissionalismo e seriedade de um jornalista formado. Sem falar que muitos são independentes, não estão na folha da Assembleia e, por isso mesmo, podem dar outra versão ao que, eventualmente, um jornalista com “canudo” daria por ter um contracheque da casa.

Abaixo, a íntegra da nota:

 NOTA DE ESCLARECIMENTO

Em virtude de matéria publicada nesta quarta-feira (25), no blog do Robert Lobato, acusando o Comitê de Imprensa da Assembléia Legislativa do Maranhão de adotar medidas autoritárias e patrocinar a censura no Poder Legislativo, esclarecemos o seguinte:

1 – Não houve qualquer decisão autoritária. Todas as decisões são conseqüência de reclamações dos próprios profissionais que fazem a cobertura da Assembléia Legislativa, que não estavam conseguindo exercer suas atividades no âmbito do Comitê de Imprensa, devido à invasão de um grande número de pessoas que ali se concentravam para assistir às sessões mais comodamente e para bater papo. Além do mais, todas as decisões foram tomadas em Assembléia Geral devidamente convocada pelo presidente e realizada no dia 11 de janeiro de 2012, ocasião em que foi aprovado o Estatuto do Comitê de Imprensa.

2 – O Estatuto do Comitê de Imprensa não obriga a presença, no Comitê, apenas de jornalistas formados, mas exige a inscrição na DRT e indicação de algum órgão de comunicação, um mínimo de cuidado para o exercício pleno da profissão, conforme acontece na maioria dos parlamentos do país.

3 – Não houve qualquer decisão quanto a jornalistas que prestam assessoria de imprensa a parlamentares. No entanto, todos os presentes à reunião da Diretoria de Comunicação com esses assessores são testemunhas de que o presidente do Comitê de Imprensa defendeu e defende o credenciamento desses profissionais e o livre acesso ao Comitê. Portanto, todos os assessores terão direito a credenciamento, seguindo os mesmos critérios adotados aos demais jornalistas.

4 – O que se quer – e essa foi uma postulação de todos os que compareceram à primeira Assembléia Geral – é dar um mínimo de organização e funcionalidade ao Comitê de Imprensa.

5 – Nada temos contra as mídias livres, mas se todo que adotar um blog for alçado à condição de jornalista profissional será o fim dos cursos de comunicação, dos registros na DRT e da própria profissão de jornalista.

São Luís, 25 de janeiro de 2012
Jonaval Medeiros da Cunha Santos
Presidente


Uma decisão autoritária ameaça restringir a entrada de profissionais de comunicação ao Comitê de Imprensa da Assembleia Legislativa do Maranhão.

O blog apurou que a intenção é limitar o acesso apenas à jornalistas formados, proibindo, inclusive, a entrada dos mídias livres (blogueiros) ao recinto que por natureza deveria ser democrático. Nem mesmo assessor indicado por deputado poderá entrar.

Vários profissionais que cobrem os trabalhos da Assembleia lamentaram a decisão e alegam que a medida, além de autoritária e discricionária, é um ato de censura inconcebível em plena “Casa do Povo”.

Este blog, que é devidamente credenciado para cobrir o trabalho do parlamento maranhense, repudia essa decisão do Comitê de Imprensa e apela para o bom senso dos colegas da direção do comitê para, na medida do possível, reveja essa posição que em nada ajuda o saudável relacionamento entre os profissionais que atuam na cobertura jornalística da Assembleia Legislativa e muitos menos encontra respaldo na biografia de um democrata como é o presidente do órgão, jornalista Cunha Santos.

No mais, torcemos para que tudo não tenha passado de um mero equívoco da fonte que informou sobre o assunto ao blog.


Posição madura do deputado Zé Carlos do PT

Dep. Zé Carlos do PT: maturidade e equilíbrio

A inauguração, ontem, da nova sede da Secretaria Extraordinária de Articulação Institucional (Seai), comandada por Rodrigo Comerciário, foi marcada por um fato curioso no atual cenário político. O evento reuniu, além do anfitrião, o secretário do Trabalho e Economia Solidária, José Antonio Heluy, e o deputado estadual José Carlos (PT). Foi o suficiente para os presentes logo deduzirem que os três estão articulados em torno do projeto de lançar Washington Luiz candidato do PT a prefeito de São Luís.

Entre uma conversa e outra com jornalistas, o deputado José Carlos, que atende politicamente pelo cognome José Carlos da Caixa, deu uma demonstração de equilíbrio político. Ele chegou a admitir se credenciar como aspirante a candidato a prefeito de São Luís. Mas deixa claro, porém, e de maneira enfática, que só seria candidato se escolhido por consenso ou por maioria sólida do partido. Nas suas declarações, afirma que abraçará a candidatura que o partido referendar.

Ao comentar o clima de disputa que move o PT no que respeita à disputa para a Prefeitura de São Luís, o deputado José Carlos fala como um político maduro, que tem consciência do seu papel partidário e do peso do mandato que exerce. Disse, com todas as letras, que não entrará na disputa para se beneficiar da visibilidade que a corrida eleitoral proporciona e, assim, ganhar peso para renovar o mandato de deputado estadual.

– Minha visão de política é outra, e nela o político tem de se promover é com trabalho, cumprindo as promessas de campanha – esclareceu.

Um bom exemplo.

(reproduzido da Coluna O Estado Maior, do jornal O Estado do MA, 25.01.2012.)


Do blog do Gilberto Léda

Governador em exercício e o secretário de Saúde Ricardo Murad

O primeiro serviço de atendimento terapêutico 24 horas de São Luís foi inaugurado, nesta terça-feira (24), pelo governador em exercício Washington Luiz Oliveira e pelo secretário de Estado da Saúde (SES), Ricardo Murad. O serviço é garantido pelo Centro de Atenção Psicossocial (CAPS III) Dr. Bacelar Viana, que integra as ações do Programa Saúde é Vida, do Governo do Estado.

“Estamos passando por profundas mudanças na área da saúde, avançamos muito no pronto atendimento para garantir mais qualidade para a população”, declarou Washington Luiz. Ele disse que o CAPS é fundamental para atender as pessoas que hoje sofrem com dependências químicas. “A unidade fica estrategicamente bem localizada e será essencial para auxiliar na recuperação de pessoas dependentes de drogas ou outras perturbações”, destacou.

Localizado próximo ao Ifma, no Monte Castelo, o CAPS III é um serviço de saúde aberto e comunitário do Serviço Único de Saúde (SUS), com uma equipe multiprofissional para tratamento de pessoas com transtornos mentais, psicoses, neuroses graves e persistentes e demais quadros que justifiquem sua permanência num dispositivo de atenção diária.

Os CAPS são instituições destinadas a acolher os pacientes com transtornos mentais, estimular sua integração social e familiar, apoiá-los em suas iniciativas de busca da autonomia e oferecer-lhes atendimento médico e psicológico. A perspectiva é de garantir um modelo assistencial de melhor qualidade no acolhimento das pessoas com transtornos mentais e usuários de crack e outras drogas.

A coordenadora do CAPS III, Ana Gabrielle Guterres, explicou que o atendimento no centro é garantido após o paciente passar por uma avaliação. “Depois do acolhimento, dependendo da necessidade, os casos são encaminhados para os CAPS, ambulatórios ou unidades de saúde que façam parte da Estratégia Saúde da Família, além das clínicas conveniadas ao SUS”, explicou.


Não foram poucas as vezes que sentei em frente a um computador e comecei a digitar mais com o fígado do que as mãos.

Alguns artigos escritos dessa forma tiveram boa repercussão e até fizeram alguns estragos no meio político, por assim dizer, mas também fui vítimas deles.

De qualquer forma, esses artigos me ajudaram fazer a diferença entre o que é escrever com indignação e rebeldia, e o que é simplesmente escrever com raiva, com os olhos e a “caneta” cheios de sangue.

Entretanto, posso ter mudado a forma, porém a essência do que escrevo é a mesma: a de contribuir no debate democrático sobre o sentido da nossa vida aqui neste mundo e o que podemos fazer para torná-lo o lugar melhor de viver.

Mudei a forma, mas a essência dos meus textos é movida pelos mesmos sentimentos de inquietação e indignação contra a injustiça social, dominação política dos poderosos, exploração do homem pelo homem, opressão dos pobres, violência ao meio ambiente etc. Numa palavra: continuo escrevendo a favor das coisas que dão sentido à vida.

Todo cronista, colunista ou escritor já produziu algo que depois, ao fazer uma releitura, chega à conclusão de que não deveria ter produzido aquilo.

Não guardo arrependimento por ter escrito algum artigo especificamente, mas fazendo uma releitura de alguns, certamente não os escreveria novamente, pois foram escritos motivados pela raiva e até mesmo por ressentimentos, o que acaba por desqualificar a obra e o autor, além de fazer mal à alma.

Claro que não se trata de cair naquela do “esqueça o que disse”, posto que mesmos eventuais equívocos cometidos na vida são pedagógicos para que não voltemos a repeti-los.

Contudo, há algum tempo já venho seguindo o lema: escrever com indignação sim, com raiva jamais.

Peço desculpas por este “parêntese” no blog, mas precisava dizer isso aos leitores.


Basta uma pane dessa, já de costume da Embratel, OI e similares, para chegarmos à conclusão definitiva que a vida se torna impossível sem a internet.

O mundo cotidiano é movida pela rede mundial de computadores e pouca coisa pode ser feita sem essa fantástica maravilha surgida no século passado e que passou a ser de todos os séculos futuros.

Empresas, indústrias, bancos, órgãos públicos, enfim, tudo é caótico sem a net.

O que dizer dos viciados e viciadas em rede sociais? Uma amiga minha “facebookólatra” deve ter tido urticárias nessas “longas’ horas que ficou sem conexão cibernética.

Este blogueiro não tem como negar que sofreu muito com o “apagão” causado pela operadoras da chamada “banda larga”, afinal, a internet é oxigênio da blogosfera.

O que importa é que estamos de volta e vida continua. Continua por causa da internet; é bom que se diga.


Por Flávio Braga (Publicado originalmente no Jornal Pequeno – 22.01.2012)

A partir desta edição, iremos abordar as consultas formuladas com maior frequencia pelos eleitores e demais protagonistas do processo eleitoral. Utilizaremos a sistemática de perguntas e respostas, a fim de facilitar a assimilação por parte dos nossos leitores.

Qual o prazo final para o alistamento de eleitores em 2012?

R- De acordo com a Resolução TSE nº 23.341/2011, que dispõe sobre o calendário eleitoral de 2012, o dia 9 de maio é o prazo final para o indivíduo requerer inscrição eleitoral ou transferência de domicílio. Também é o último dia para o eleitor que mudou de residência dentro do município pedir alteração no seu título eleitoral.

É permitido o alistamento de um menor com apenas 15 anos de idade?

R- Sim. A lei faculta o alistamento, no ano em que se realizarem eleições, do menor que completar 16 anos até a data do pleito. Esse alistamento excepcional poderá ser solicitado até o dia 9 de maio. O título emitido nessa condição somente surtirá efeitos com o implemento da idade de 16 anos.

Tecnicamente, o que é propaganda eleitoral antecipada ou fora de época?

R- Essa definição guarda contornos bem singelos. O artigo 36 da Lei Geral das Eleições estabelece que a veiculação de propaganda eleitoral somente é permitida após o dia 5 de julho do ano da eleição. Dessa forma, qualquer modalidade de propaganda eleitoral realizada antes do dia 6 de julho será considerada extemporânea, sujeita a aplicação de multa no valor de R$ 5.000,00 (cinco mil reais) a R$ 25.000,00 (vinte e cinco mil reais).

Vice-prefeito pode concorrer a vereador sem necessidade de desincompatibilização?

R- O artigo 1º, § 2° da Lei das Inelegibilidades, preceitua que o Vice-Presidente, o Vice-Governador e o Vice-Prefeito poderão candidatar-se a outros cargos, preservando os seus mandatos respectivos, desde que, nos últimos seis meses anteriores ao pleito, não tenham sucedido ou substituído o titular.

O que vem a ser o cadastramento biométrico de eleitores?

R- É um moderno sistema de atualização do cadastro eleitoral por meio da utilização de equipamentos que permitem a identificação do eleitor mediante a incorporação de dados biométricos e sua fotografia. Nas eleições municipais de outubro, esse sistema de identificação já será adotado em seis municípios maranhenses (Paço do Lumiar, Raposa, São João Batista, São Vicente Férrer, Cajapió e Benedito Leite). Com o emprego da biometria, a Justiça Eleitoral pretende excluir a possibilidade de uma pessoa votar por outra, o que hoje representa a única possibilidade de fraude no âmbito do sistema eletrônico de votação. Estima-se que em 10 anos todos os eleitores brasileiros já estarão cadastrados e habilitados a votar pelo sistema biométrico.

Flávio Braga, pós-graduado em Direito Eleitoral, professor da Escola Judiciária Eleitoral e analista judiciário do TRE/MA.



Moradoras da comunidade de Pinheirinho, em São José dos Campos (Foto: Roosevelt Cassio / Reuters)

Partido condena violência e atos lamentáveis praticados pela prefeitura de São José dos Campos, Governo de São Paulto e Tribunal de Justiça.

NOTA DO PT EM SOLIDARIDADE AOS OCUPANTES DO PINHEIRINHO

O PT acompanhou chocado, como toda a Nação, o desfecho violento e inesperado das negociações sobre a posse e urbanização de uma área ocupada por mais de mil famílias, há mais de 8 anos, no bairro do Pinheirinho, em São José dos Campos, SP.

A mega-operação de reintegração de posse que envolveu a Polícia Militar do Estado de São Paulo e a Guarda Municipal de São José dos Campos frustrou os esforços para uma saída pacífica para o conflito social, com base em proposta de políticas públicas para a regularização, urbanização e construção de moradias populares na região envolvendo os três níveis de governo – federal, estadual e municipal.

De propriedade de um mega-especulador de passado amplamente conhecido, o Sr. Nagi Nahas, abandonada e sem o pagamento regular de seus impostos, envolta em chicanas jurídicas de falência da empresa de seu proprietário, o terreno poderia ser objeto, conforme proposta formal do Governo Federal, de uma ação conjunta dos vários entes federados para dar-lhe destino social, integrar as famílias ocupantes à cidadania plena e equacionar um problema crônico de moradia popular em importante pólo regional do Vale do Paraíba paulista.

No entanto, quando se imaginava que o caminho das negociações estava efetivamente aberto, a Prefeitura de São José dos Campos rompeu unilateralmente as negociações, e, de forma dissimulada e inesperada, sem comunicação prévia, passa a operar pela reintegração de posse junto à Justiça Estadual e o Governo do Estado. O que choca é que o mínimo de civilidade e credibilidade se espera na relação administrativa entre entes da Federação. A dissimulação e a mentira são posturas inaceitáveis em relações políticas e administrativas, e essas foram marcas do comportamento da Prefeitura de São José dos Campos neste processo.

A Prefeitura de São José dos Campos, o Governo do Estado de São Paulo e o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo devem responder pelas conseqüências de seus atos nesta situação lamentável que expôs vidas humanas a risco desnecessário, tanto das famílias ocupantes quanto da população do entorno da ocupação e de outros bairros da cidade para onde a violência se estendeu.

O PT manifesta sua solidariedade ao movimento popular de São José dos Campos, aos moradores atingidos pela violência do Estado nesta reintegração de posse e aos membros do Governo Federal e parlamentares presentes facilitando em todos os momentos a negociação por uma saída pacífica e construtiva para o conflito.

O PT cumprimenta o Governo Federal pelos seus esforços de diálogo e por sua responsabilidade em todo o processo do Pinheirinho, e condena fortemente a intransigência e a insensibilidade social dos governos tucanos de São José dos Campos e do Estado de São Paulo, instando a todos pela retomada das negociações que permitam reparar o sofrimento causado desnecessariamente a famílias pobres e sem-teto.

São Paulo, 23 de Janeiro de 2012
Rui FalcãoPresidente Nacional do PT
Renato SimõesSecretário Nacional de Movimentos Populares e Políticas Setoriais do PT

Fonte: Portal PT


Revista de História

Nesta segunda-feira (dia 23), Leonel Brizola faria 90 anos se estivesse vivo – e, claro, o líder esquerdista é lembrado numa série de homenagens, duas delas promovidas pela Associação Brasileira de Imprensa, uma no Rio de Janeiro e outra em Porto Alegre.Na Igreja de São Benedito dos Homens Pretos (Rua Uruguaiana, Centro do Rio de Janeiro), às 11h, será realizada uma missa. Já na sede da ABI em Porto Alegre (Rua Araújo Porto Alegre, 71, Centro), às 18h, será lançado o livro “Leonel Brizola – A legalidade e outros pensamentos conclusivos”.

A obra, organizada pelos jornalistas Osvaldo Maneschy, Apio Gomes, Paulo Becker e Madalena Sapucaia, reúne o pensamento político e social de Brizola a partir de entrevistas, palestras e discursos do líder trabalhista entre 1991 e 2004.

No artigo abaixo, publicado na RHBN em junho de 2009, você uma edição do nosso “Biblioteca Fazendo História” que discutiu as “mil faces” do líder esquerdista. Relembre também alguns artigos do nosso Especial Brizola, publicado na época, como o “Nasce um líder das esquerdas”, que narra como Brizola despontou com um discurso revolucionário e resistiu até o fim ao movimento que gerou o golpe militar. Em “Onde estão os Grupos de Onde?”, Marli de Almeida Baldissera conta como, a pedido de Brizola, milhares de pessoas se inscreveram em organização de resistência ao golpe – sem nem saberem ao certo do que se tratava.

Leia Mais…