FRASE DO DIA

Destruir Lula é roubar a voz dos pobres, só um povo infantil faria uma coisa dessa

(Domenico De Masi, sociólogo italiano)

Comentar

Esse crocodilo foi capturado e morto perto da fronteira na Namíbia com Angola, no continente da África. É ou não é extraordinário?


Do blog do Marco D’Eça

Sempre PT reforça a pré-candidatura de Washington

O coletivo “Sempre PT”, tendência partidária formada por petistas de todas as correntes, distribuiu manifesto, hoje, em que declara apoio à candidatura do vice-governador Washington Oliveira a prefeito de São Luís.

Para o “Sempre PT”, a consolidação da candidatura de Washington “pode fazer com que o partido obtenha a maior vitória eleitoral da sua história na cidade de São Luis, inclusive elegendo uma boa bancada de vereadores do PT”.

Criado no final de 2010, exatamente para dar apoio ao vice-governador,  ”para o enfrentamento da luta política e das contradições próprias geradas a partir da aliança PT/PMDB”, o Sempre PT ganhou adeptos e hoje é um dos coletivos mais influentes nas instâncias partidárias.
Para os membros do coletivo, a candidatura de Washington Oliveira reúne as melhores condições para levar o PT a uma disputa com chances de vitória na capital maranhense.

– O Sempre PT entende que o partido necessita de uma candidatura que consiga aglutinar forças políticas para além dos nossos tradicionais aliados do chamado “campo democrático-popular” – diz o documento.
A decisão sobre o candidato do PT a prefeito – além de Washington Oliveira, reivindica a vaga também o deputado Bira do Pindaré – deve sair no mês de março.

Abaixo, a íntegra do manifesto:

MANIFESTO DO COLETIVO “SEMPRE PT” EM APOIO À PRÉ-CANDIDATURA DE WASHINGTON A PREFEITO DE SÃO LUIS

1. O coletivo Sempre PT foi fundado com dois princípios fundamentais e históricos: a luta por um Maranhão mais justo e democrático; e a determinação de construir, no PT, um pólo interno, de esquerda, na busca por um entendimento mínimo que repactue o nosso partido no estado.
2. Não é à toa que o coletivo Sempre PT jogou um peso fundamental no processo político em 2010, tanto do ponto de vista interno como externo.
3. Internamente o nosso coletivo buscou oferecer  apoio político e partidário ao vice-governador eleito, Washington Luiz Oliveira, uma vez que entendeu que o companheiro precisava de um “voto de confiança” dos petistas para o enfrentamento da luta política e das contradições próprias geradas a partir da aliança PT/PMDB.
4. Tivemos a responsabilidade de conversar com várias forças e personalidade do partido no sentido de oferecer uma contribuição que superasse as graves crises que o PT vive há tempos no Maranhão. Crises essas que, no nosso entendimento, impedem do partido crescer e obter resultados políticos e eleitorais positivos ao longo da sua história.
5. Assim, o Sempre PT propôs, publicamente, um amplo entendimento interno no nosso partido. Uma “bandeira branca”, enfim, uma trégua interna para tentarmos construir uma nova realidade para o PT maranhense.
6.   Se por um lado o coletivo sofreu ataques e preconceitos infundados, por outro se constituiu numa força interna que já conta com simpatizantes em várias cidades do interior, sem falar em muitos companheiros de São Luis que depositaram confiança nos nossos propósitos de pacificação do partido.
7. Nesse sentido, nos consideramos credenciados para dividir o protagonismo, junto com outras forças internas, na discussão do processo eleitoral de 2012 que, no entendimento do coletivo, é estratégico e vital para o grande embate político-eleitoral de 2014.
8. O Sempre PT defendeu, desde o início, candidatura própria do PT para prefeito de São Luis, ao mesmo tempo em que sempre acreditou, como ainda acredita, que a reprodução da aliança nacional e local com o PMDB, deve priorizada em todos os municípios onde for possível, inclusive em São Luis.
9. O nosso coletivo também defendeu candidaturas alternativas ao do companheiro Bira do Pindaré, cujo reconhecimento se faz necessário por ter colocado o seu nome à disposição do partido há muito tempo.
10. Entretanto, o Sempre PT entende que o partido necessita de uma pré-candidatura que consiga aglutinar forças políticas para além dos nossos tradicionais aliados do chamado “campo democrático-popular”. Daí que o coletivo lançou, em meados de 2011, o nome do companheiro Zé Carlos do PT, bancário da Caixa Econômica Federal e deputado estadual, assim como o companheiro Bira do Pindaré.
11. Vários movimentos e provocações foram feitos, por parte do Sempre PT, para que o deputado Zé Carlos assumisse sua pré-candidatura de forma mais clara e sistemática. Mas, lamentavelmente, o companheiro sempre resistiu declarar-se, de fato, pré-candidato a prefeito publicamente ou mesmo da tribuna da Assembleia.
12. O PT não poderia esperar ou ficar ao reboque dos acontecimentos e dos movimentos de outros partidos que já estavam se articulando em torno de nomes com vista ao processo eleitoral de 2012. O próprio PMDB chegou a lançar o seu pré-candidato. Ressalta-se que o coletivo Sempre PT chegou a ser procurado pelo companheiro José Antônio Heluy, que também havia colocado o seu nome como pré-candidato a prefeito de São Luis.
13. Sem querer menosprezar os nomes dos companheiros Bira do Pindaré e Zé Carlos do PT, o Sempre PT entende que, uma vez consolidada, candidatura Washington pode fazer com que o partido obtenha a maior vitória eleitoral da sua história na cidade de São Luis, inclusive elegendo uma boa bancada de vereadores do PT. É com essa convicção, que o coletivo Sempre PT vem a público manifestar total apoio à pré-candidatura do companheiro Washington a prefeito de São Luis. Temos a certeza de tratar-se de um projeto que ajudará no crescimento do partido, não somente na capital, mas em todo o estado do Maranhão.
São Luis, 30 de janeiro de 2012.
Coletivo Sempre PT


O deputado estadual, Zé Carlos(foto), anunciou nesta segunda-feira, 30, que não é mais pré-candidato a prefeito de São Luis.

O petista afirmou que colocou o seu nome à disposição do partido movido pelo sentimento de que poderia unir o partido e por considerar que possui o perfil de candidato cobrado pelos cidadãos ludovicences.

“Quando me dispus a enfrentar o desafio da pré-candidatura, o fiz movido pela esperança de que nosso nome pudesse humildemente construir uma sólida aliança interna; o fiz por acreditar que o mandato parlamentar exercido goza e desfruta da confiança do povo; o fiz por estar dentro do perfil cobrado pelo cidadão ludovicense”, declarou;

O parlamentar explicou ainda que o objetivo de colocar o seu mandato à disposição do PT era de justamente de tentar unificar uma candidatura, ou seja, deveria ocorrer a anuência de duas postulações em favor de um só nome.

“Como não há um movimento nesta direção, por parte dos companheiros Bira e Washington, declinei eu, liberando os companheiros de partido que defendiam seu nome para tomarem o caminho que acharem mais acertado e coerente com suas relações políticas internas e a pregação que cada um faz na sociedade”, conclui Zé Carlos.

Zé Carlos preferiu não declarar apoio ao deputado estadual Bira do Pindaré ou ao vice-governador Washington Oliveira. O deputado se limitou a afirmar que estará na campanha de quem o escolhido no Encontro de Delegados, a ser realizado em março

“Independentemente do nome definido em encontro do partido estarei na campanha do candidato petista à Prefeitura de São Luís. Em nenhum momento me dispus a provocar cisma ou dissenso, qualquer um dos dois, Bira ou Washington, em sendo candidato do PT, será o meu candidato”.

Sobre o apoio dos companheiros à sua pré-candidatura, o parlamentar externou o seu agradecimento aos que estimularam a postulação e construíram a possibilidade.

“Agradeço aos companheiros da CNB – Joab Jeremias, Secretário de Comunicação do DE; dos dirigentes Mundico e Virna Teixeira, Márcio Brito, Oziel Leite, Luciana Gomes, Ronaldo Pereira e César Campos; do vice-presidente do PT Estadual Augusto Lobato e dos companheiros da Mensagem ao Partido. Ao companheiro Monteiro, presidente do PT Estadual, e ao coletivo sempre PT, que até o surgimento da candidatura de Washington, eram entusiastas do meu nome”, destacou.

(Com informações da Ascom / Deputado Zé Carlos do PT)



Almir Bruno: abandona a pré-candidatura de Bira do Pindaré

Dois dias após ser derrotado na reunião do Diretório Municipal do PT, que rejeitou a proposta de realização de prévias para a escolha do candidato do PT a prefeito de São Luis, a pré-candidatura do deputado Bira do Pindaré sofreu outro revés.

O secretário de Comunicação do PT de São Luís, Almir Bruno, declarou que não apoiará mais o projeto de Bira do Pindaré. Em contato com o blog, o dirigente petista afirmou que o mandato de Pindaré “não é um aglutinador de forças da oposição e sim uma espécie de mandato personalista por reproduzir a lógica dos últimos mandatos que conseguimos conquistar através do PT com muita luta”.

Almir Bruno disse ainda que o deputado Bira do Pindaré “estabelece um mandato estritamente condensado em sua figura e não no PT. Muitos não tem coragem de falar, mas sabem o que isto significa para toda militância petista de São Luís. Acompanhamos que seu mandato tem tido progressos para defesa de diversas lutas populares que é fundamental mas que nada tem contribuído para o crescimento do PT em São Luís”.

Coordenador do coletivo “Vanguarda”, Almir Bruno entende que é “chegada a hora de retirar o apoio a pré-candidatura a Prefeito do companheiro Bira do Pindaré e trabalhar pela unidade e aglutinação das forças petistas contra o projeto do PSDB em São Luís”.

O blog quis saber qual o caminho que o coletivo Vanguarda irá tomar. “Iremos nos reunir e rediscutir a nossa posição sobre a pré-candidatura do companheiro Washington, que apesar de estar fazendo parte do Governo do Estado, pode ajudar a enfrentar o PSDB em São Luís com chances reais de vitória. Já o deputado Bira do Pindaré possui uma postura desaglutinadora e acaba afastando os petistas , e isso em nada contribui para crescimento da pré-candidatura do PT a prefeitura de São Luís”, respondeu Almir Bruno.



Washington Oliveira e seus aliados: vencida a primeira batalha

O vice-governador, Washington Oliveira, venceu a primeira batalha enquanto pré-candidato do PT a prefeito de São Luis.

As força políticas que apoiam a sua pré-candidatura garantiram, na reunião do Diretório Municipal (DM), realizada no sábado, 28,  os 2/3 necessários para que a escolha do candidato do partido a prefeito seja escolhido no encontro de delegado e não por meio de prévias, tal como queria os apoiadores do deputado Bira do Pindaré.

O resultado mostrou que Washington conta com apoio de incondicional sua corrente, a CNB, e ainda com os votos dos aliados Joab Jeremias, Rodrigo Comerciário e José Antônio Heluy. Bira e os seus aliados chegaram a acreditar que poderiam contar com parte dos votos desses petistas, mas ficou claro que de lado estão Joab, Rodrigos e Zé Antônio.

Mas, como dito acima, a vitória na reunião do DM foi apenas a primeira batalha entre outras que virão pela frente. Há muito o que fazer até a pré-candidatura de Washington virar, de fato, a candidatura oficial do PT à Prefeitura de São Luis.

O fato é que o deputado Bira do Pindaré perdeu fôlego com a derrota do último sábado. Nem o factoide sobre “atentado” a sua honra e a sua vida conseguiu evitar que os petistas rejeitassem a realização de prévias. Aliás, decisão correta dos dirigentes municipais, pois, historicamente, as prévias não têm sido o melhor instrumento para a escolha dos candidatos majoritários do PT, ao menos em São Luis.


Maria do Rosário (Direitos Humanos) revelou que decisão foi tomada em conjunto com presidenta Dilma Rousseff, após reunião realizada na semana passada.

A ministra da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência, Maria do Rosário, anunciou que uma das principais prioridades de sua pasta em 2012 é a aprovação da PEC 438, que prevê a expropriação de áreas onde for encontrado trabalho escravo.

nistra Maria do Rosário (Foto: Valter Campanato/ABr)

A proposta de emenda constitucional data de 2001, já foi aprovada no Senado e em primeiro turno na Câmara, onde aguarda a segunda apreciação desde 2004. A inclusão por deputados de uma proposta que inclui áreas urbanas no escopo da PEC deve exigir uma nova votação pelos senadores.

De acordo com Maria do Rosário, a decisão de eleger a PEC como prioridade foi avalizada pela presidenta Dilma Rousseff, em reunião realizada na semana passada.

“A presidenta quis saber se a proposta contribuiria para o enfrentamento do trabalho escravo, deixamos claro isso e ela nos orientou a tratá-la como prioridade”, disse ela, ao participar de uma mesa no Fórum Social Temático sobre o tema.

Neste dia 28, é comemorado o Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo. Desde 1995, 42 mil brasileiros foram libertados dessa condição no país, sobretudo em fazendas de cana-de-açúcar e de pecuária.

Em sua intervenção, Maria do Rosário disse ainda que a estratégia de combate à escravidão contemporânea passa pelo envolvimento da sociedade civil com as políticas públicas.

A base dessa política está na criação de comissões estaduais de combate ao trabalho escravo, as coetraes, que reúnem representantes do executivo, do judiciário, de ONGs e movimentos sociais.

A ministra declarou também que deseja fortalecer a “lista suja”, cadastro de empregadores flagrados com irregularidades e produzida pelo Ministério do Trabalho e Emprego. Para isso, prometeu que o governo não autorizará mais acordos como que permitiu a saída da Cosan da relação, no ano passado.

Fonte: Agência Carta Maior


O blog entrará em sono profundo por alguns dias. Recesso, férias, descanso, ócio ou nome que queiram dar.

Mas, como “alegria de pobre dura pouco”, estaremos de volta na próxima, segunda-feira, 30, se Deus quiser.

Abraços a todos e a todas.


Diretório Nacional realiza ato no dia 10 de fevereiro, em Brasília, com a presença de lideranças políticas, sindicais e dos movimentos sociais.

O Diretório Nacional do Partido dos Trabalhadores realiza no dia 10 de fevereiro, em Brasília, ato comemorativo dos seus 32 anos de fundação. A festividade ocorrerá durante o encerramento do Encontro Nacional de Prefeitos/as e Deputados/as Estaduais do PT. O evento, que será realizado no Centro de Eventos Brasil 21 (Plano Piloto), contará com a participação de dirigentes, militantes, ministros, parlamentares, prefeitos, lideranças sindicais e populares, além de representantes dos movimentos sociais e de partidos aliados.
Veja aqui o convite oficial

Na comemoração do 32º aniversário de fundação, o presidente nacional do PT, Rui Falcão, reafirma a posição do PT na defesa intransigente do povo brasileiro.

“Nestes 32 anos, o PT ajudou o Brasil a passar por grandes transformações, desde a luta pelo fim da ditadura, passando pelas Diretas Já, e contribuindo para a organização dos trabalhadores através da criação e construção da CUT. Depois, com a eleição de Lula e de Dilma, que fizeram com que o Brasil entrasse em um novo ciclo de transformação social e econômica. Podemos destacar os programas sociais que tiraram milhões de famílias da miséria, a geração de emprego e renda e a nova política para o salário mínimo, entre tantos avanços que ajudam o Brasil a ser hoje reconhecido e respeitado no cenário internacional”.

Rui Falcão também conclama os petistas a comemorarem a data com mobilização e alegria. “Por tudo isso, é importante celebrar essa história de 32 anos de lutas. Conclamamos toda a militância a realizar atos pelo país inteiro e os nossos parlamentares a usarem as tribunas para fazerem pronunciamentos em homenagem ao Partido, mobilizando assim a sociedade brasileira para que esse processo de transformação tenha continuidade na vida social e política do nosso País”, enfatiza o presidente do PT.

Durante as comemorações dos 32 anos de história, o PT também irá comemorar o Centenário de Apolônio de Carvalho, ativista histórico que assinou a primeira ficha de filiação ao Partido em 1980.

Site nacional PT


De uma leitora que pediu para não ser identificada, o blog recebeu a seguinte denúncia:

Caro Robert,

Em que mundo estamos vivendo? Percebemos que os bens materiais estão acima dos benefícios espirituais para algumas denominações evangélicas.

Vereador Antônio Carlos sendo escoltado pela policia para não ser linchado pela população ao sai da câmara após sessão do dia 19 de agosto de 20111, quando foi expulso da Presidência da Câmara.

Quem não se lembra do caso do vereador e ex-presidente da câmara municipal de São Mateus do Maranhão, Antônio Carlos Montelo Sousa, que foi denunciado por falsidade ideológica, desvio de conduta, corrupção e desvio de dinheiro público?

As denúncias foram feitas dia 30 de junho de 2011 pelas vítimas: Antônia Audilene Pinheiro (comerciante e membro da igreja), Hailton Bandeira Cardoso (representante comercial e auxiliar da igreja) e Vanuza Ferreira Lucena (comerciante).

As denúncias foram protocoladas na Delegacia de Polícia, Ministério Público e Câmara de vereadores, chegou a instaurar uma CPI, que virou PIZZA. Motivo: o atual presidente, Neto Amorim, não forneceu a documentação para a comissão processante.

A convenção estadual da igreja Assembléia de Deus, o afastou do Cargo de pastor evangelista por quatro meses. Só que, os vereadores do grupo do ex-presidente (Soliene, Toinho Chaves, Kátia e Neto Amorim) assinaram um documento para a convenção da Igreja, dizendo que não tem nada na câmara que incrimine Antônio Carlos. Isso é o cúmulo do absurdo.

Não bastasse tudo isso, agora o ex-vereador cassado foi chamado para assumir o pastorado como um dirigente de uma congregação da Igreja Assembléia de Deus, na cidade Paço do Lumiar.

Diante do que a sociedade tem conhecimento, o mesmo deveria ser tratado, no mínimo, como suspeito.

Segundo o cristianismo, para ser pastor de um rebanho, é preciso que o indicado tenha conduta ilibada perante Deus e a sociedade. Que exemplo o futuro “pastor,” dará para as ovelhas de sua congregação? Com a palavra, a convenção da Igreja Assembléia de Deus… A justiça do homem falha, Deus é justo.


Por Marcela Vaz (da redação TechTudo)

Anonymous é um grupo hacktivista internacional. Formado por membros anônimos, como o próprio nome indica em inglês, o grupo atua em diversas frentes, geralmente “defendendo causas em prol da sociedade”, como eles costumam se posicionar. Como forma de protesto, o Anonymous invade páginas na Internet e derruba sites.

Grupo Anonymous em protesto contra a Igreja de Cientologia, em Hollywood (Foto: Divulgação)

Alguns dos protestos do Anonymous foram:

1. Lançar seu próprio “Megaupload” em resposta ao fechamento de um dos maiores sites de downloads. O Anonyupload estaria sendo desenvolvido com propósitos equivalentes;

2. Liberar catálogo de músicas e filmes da Sony;

3. Atingir a empresa de pagamentos online PayPal em dezembro de 2010, quando o grupo incentivou o boicote ao site e à livraria online Amazon em defesa do Wikileaks, responsável por tornar público documentos confidenciais do governo norte-americano;

4. Derrubar cerca de 40 sites que, segundo o grupo, incentivavam a pedofilia. Como parte da ação, o grupo divulgou os nomes de cerca de 1.500 suspeitos do site “Lolita City”, que podem ser usuários cadastrados no site ou pessoas envolvidas no seu desenvolvimento e administração;

5. Publicar um vídeo anunciando planos para derrubar o site da Fox News no dia 5 de novembro de 2011. O motivo seria o fato da emissora praticar, segundo o grupo, um jornalismo de notícias tendenciosas, principalmente na cobertura do movimento Occupy Wall Street;

6. Os ativistas da Internet divulgaram um vídeo anunciando que um de seus membros havia sido sequestrado pelo cartel mexicano Zeta e exigiram a sua liberação. Caso isso não acontecesse, eles prometiam uma vingança em alto nível, com a divulgação de dados pessoais de membros do cartel de drogas.

Orgãos da polícia de diversos países já efetuaram prisões de suspeitos de participarem do grupo. Na maioria das vezes, os acusados são jovens com idade entre 20 e 30 anos. Alguns deles chegaram a ir a julgamento e foram condenados. A Scotland Yard, da Inglaterra, e o FBI, dos Estados Unidos, costumam atuar em parceria nas investigações. No Brasil, hackers podem responder por atentado contra a segurança ou funcionamento de serviço de utilidade pública, crime que prevê punição de um até 5 anos de reclusão, além de multa.

Máscara de Guy Fawkes

A famosa máscara usada pelos ativistas do Anonymous nos protestos foi desenhada por David Lloyd para o livro V de Vingança (Panini Comics, 1998), que também virou filme em 2006. A inspiração nasceu da história do anarquista inglês Guy Fawkes, que tentou um frustrado atentado explosivo contra o parlamento no século XVII.